Negócios

Lucro da John Deere cai 41% no 2º tri fiscal de 2020, para US$ 666 mi

Crédito: Reprodução / Facebook

São Paulo, 22 – A fabricante de máquinas agrícolas norte-americana Deere & Co. registrou lucro líquido de US$ 666 milhões, ou US$ 2,11 por ação, no segundo trimestre do ano fiscal 2020, encerrado em 3 de maio. O resultado representa queda de 41% ante o registrado em igual período do ano anterior, de US$ 1,14 bilhão, ou US$ 3,52 por ação.

A receita no período foi de US$ 9,25 bilhões, inferior em 18% ao obtido no mesmo intervalo do ano fiscal anterior, de US$ 11,34 bilhões.

+ John Deere paralisa fábricas no Brasil; Centro de Peças segue operando
+ John Deere tem novos líderes nas divisões agrícola e de construção

As vendas líquidas de equipamentos da companhia também recuaram, passando de US$ 10,27 bilhões no segundo trimestre fiscal de 2019 para US$ 8,22 bilhões no segundo trimestre fiscal deste ano, queda de 20%.

Analistas consultados pela FactSet esperavam lucro líquido de US$ 1,95 por ação e vendas líquidas de equipamentos de US$ 7,89 bilhões.

Após a divulgação dos resultados financeiros, os papéis da Deere, negociados no pré-mercado da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE, na sigla em inglês) subiam 3,07% a US$ 147,20 às 9h15 de Brasília.

O resultado trimestral da companhia interrompeu o ciclo positivo de alta no lucro líquido no último período trimestral. Já a receita vem intercalando altas e baixas desde o primeiro trimestre do ano fiscal de 2019. Assim como outras empresas do setor, o desempenho da Deere reflete as dificuldades de comercialização de máquinas e equipamentos agrícolas com a retração de investimento do agricultor, em meio às incertezas relacionadas à pandemia do novo coronavírus e a restrição de crédito para financiamento do setor.

A Deere atribuiu o desempenho no trimestre à retração da demanda em virtude dos reflexos da pandemia da covid-19. Entre as pressões que a empresa enfrenta do lado da demanda, estão as vendas mais fracas de equipamentos florestais na América do Norte e na Rússia, o recuo nas vendas de equipamentos agrícolas e de jardinagem na Ásia por causa das medidas de isolamento social, especialmente na Índia, e a diminuição das vendas de tratores e colheitadeiras na América do Sul, de acordo com a empresa.

No segmento de equipamentos de agricultura e jardinagem, a Deere registrou receita de US$ 5,97 bilhões no segundo trimestre fiscal de 2020, queda de 18%, ante o obtido em igual intervalo do ano anterior de US$ 7,28 bilhões. Já o lucro operacional do segmento recuou 22%, de US$ 1,019 bilhão para US$ 794 milhões. Segundo a companhia, as vendas do setor recuaram por causa do menor volume de embarques e pressão cambial desfavorável, que foram parcialmente compensados pela revisão de preços de produtos.

Para o acumulado do ano fiscal de 2020, a companhia revisou as estimativas de resultados financeiros, divulgadas em 22 de fevereiro, alegando que a pandemia pode afetar negativamente os seus resultados.

Agora, a Deere espera que o lucro líquido fique entre US$ 1,6 bilhão e US$ 2,0 bilhões, ante projeção de US$ 2,7 bilhões e US$ 3,1 bilhões. Analistas da FactSet esperam lucro líquido de US$ 2,04 bilhões para a companhia no fim do ano. A empresa estima também que as vendas da indústria de equipamentos agrícolas devem cair entre 10% e 15%, ante estimativa anterior de queda de 5% a 10%.