Artigo

Não importa a crise, o agronegócio continua crescendo e requer investimento

Crédito: Divulgação

Luciano Steinbruch é CEO da Focus IT, consultoria especializada em serviços SAP, suporte, sustentação e fornecimento de soluções complementares (Crédito: Divulgação)

Não há pandemia ou crise que abale o agronegócio no Brasil. Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), fundação pública federal vinculada ao Ministério da Economia, as principais commodities brasileiras deverão sofrer pouco impacto com a crise instaurada pelo Coronavírus. O PIB de 2020 deve fechar com alta de 3,8%. Em outros momentos de retração, nos quais vários setores econômicos seguiam instáveis, vimos este mesmo cenário. O que isso significa? O setor agro não para de crescer.

E quando falamos em investimentos, a área de tecnologia é a que mais desponta neste mercado. Não é de hoje que a automação entrou no campo por meio de suas máquinas e equipamentos. Internet das Coisas, tratores autônomos, robótica, drones e dados para uma melhor tomada de decisão. Mas inovar apenas o campo não é o suficiente. O ecossistema agrícola precisa acompanhar essa inovação para que faça sentido esse salto tecnológico. Ora, se o setor investe em equipamentos de alto valor agregado, as redes de serviços e suprimentos precisam andar no mesmo passo.

A indústria que supre as necessidades do setor agro com serviços, por exemplo, tem que estar no mesmo passo de inovação. Veja, por exemplo, como se comporta o campo durante a safra. Os equipamentos agrícolas não podem ter paradas. Isso significa que tratores cada vez mais autônomos e digitais não podem contar com uma assistência analógica. Manutenção preventiva, parada programada, peças disponíveis just in time – tudo precisa operar como uma orquestra regida pela tecnologia. Isso significa oferecer o mínimo de intervenção possível. E como se atinge esse patamar? Com todo o ecossistema operando de forma digital.

Então, de fato, transformar os negócios digitalmente é o caminho da inovação? Para uma parcela significativa do alto escalão executivo, ela é um impulsionador. Numa pesquisa realizada neste último ano pela E-Consulting para saber como a Transformação Digital é aplicada nos negócios, 52% dos 203 CEOs ouvidos consideram que a inovação não depende da Transformação Digital, mas esta é um grande facilitador. Então, olhando para o cenário do agronegócio, o caminho é cada agente desse ecossistema buscar soluções para atender no mesmo passo à crescente demanda desta economia digital. O resultado são ganhos cada vez mais elevados e uma melhor sustentação econômica num setor que praticamente irá sustentar o PIB Nacional este ano.

*Luciano Steinbruch é CEO da Focus IT, consultoria especializada em serviços SAP, suporte, sustentação e fornecimento de soluções complementares.