• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias02/01/2022

Navio com cerca de 20 casos de covid inicia desembarque no Rio

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo02/01/22 - 15h14min

Mais de três mil pessoas começaram a desembarcar neste domingo do navio MSC Preziosa, da MSC Cruzeiros, que desde a manhã está atracado no Píer Mauá, no Porto do Rio de Janeiro, após registrar cerca de 20 casos de suspeita de covid-19 entre passageiros e tripulantes. É o terceiro cruzeiro com registro de surto do coronavírus ao longo dos últimos dias. Ao todo, pelo menos 166 casos da doença já foram notificados em embarcações atracadas na costa brasileira.

Primeira a desembarcar junto com o marido, Vera Maia, 54 anos, disse que a viagem foi maravilhosa e mesmo com a demora para o desembarque havia muita organização e informações a bordo. A viagem durou oito dias e passou por Salvador, Ilhéus e Búzios. "Não temos o que reclamar, não tivemos contato com nenhum dos infectados e está tudo muito organizado", disse ao desembarcar.

Ansiosa desde às 9h da manhã à espera da avó que está no navio, Antônia, 7, passou do choro à alegria só saber que o desembarque foi liberado. A avó, Denise Torres, acenava a todo momento de dentro do navio e depois da fila de desembarque. "Foi a primeira vez que minha mãe resolveu ir em um cruzeiro, ficamos com medo, mas agora está tudo bem", disse a mãe de Antônia, Ariana Xavier, 35.

Enquanto a fila do desembarque diminuía, a do embarque por, sua vez, só crescia. Cláudio de Souza Marques, publicitário, 57, aguardava pacientemente a hora de entrar no Preziosa para uma viagem pelas praias de São Paulo. O risco de contaminação no navio não era uma preocupação. "Todos fizemos testes na segunda, na quarta-feira e hoje, como exigiram, e vamos fazer mais um lá dentro, meu nariz não aguenta mais, mas é bom porque mostra que é seguro", afirmou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio apontou que, em contato com a Anvisa, foi informada de que há cerca de 20 casos confirmados de covid-19 no navio MSC Preziosa. Segundo o comunicado, "todos os pacientes, assim como os cerca de 35 a 40 contactantes estão cumprindo isolamento a bordo". A pasta informou ainda que realizaria a investigação epidemiológica em conjunto com a Anvisa neste domingo, a fim de determinar o cenário epidemiológico da embarcação.

Após os surtos registrados nos cruzeiros MSC Splendida e Costa Diadema, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao Ministério da Saúde a suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiro. A recomendação foi feita nesta sexta-feira, 31, até que haja mais dados disponíveis para avaliação do cenário epidemiológico. O ministério informou neste sábado, 1º, que avaliaria as "medidas cabíveis".

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
contaminação