• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias28/05/2022

Neurotech: busca por crédito sobe 11% em abril e 57% no interanual

28/05/22 - 15h34min

A busca por financiamento saltou em abril no País, conforme o Índice Neurotech de Demanda por Crédito. No quarto mês do ano em relação ao anterior, o crescimento foi de 11%, enquanto na comparação com abril de 2021 subiu 57%.

Apesar da expectativa de manutenção em alta, o crescimento expressivo do indicador em abril reflete os números fracos de 2021, quando o Brasil ainda sentia os efeitos da pandemia, avalia o diretor de Produtos e Sucesso do Cliente da Neurotech, Breno Costa. "A base de comparação do ano passado ainda está contaminada pela segunda onda da covid-19", diz. Em abril de 2021, o INDC caiu 11%.

Na comparação interanual, a expansão do INDC contou com alta nos três setores medidos: serviços (114%), varejo (106%) e bancos (38). Já ante março deste ano, o destaque foi o segmento bancário, com avanço de 17%. Em seguida, aparece o varejo, com aumento de 8%. Em contrapartida, a demanda por crédito no setor de serviços caiu 6% em abril em relação ao mês anterior.

Costa explica que a tendência é de desaceleração na demanda por crédito, em meio ao cenário atual de inflação e juros elevados, que tende a encarecer o custo do dinheiro. Neste ambiente, estima que a oferta também se arrefecerá. "O poder de compra está comprometido pelo endividamento das famílias e, embora o consumidor demande mais crédito, seu alto custo deve esfriar o consumo", explica.

Por categorias, houve expansão de financiamento em lojas de departamento e supermercados, de 167% e 136%, respectivamente, em abril ante igual mês de 2021. Em seguida, as maiores variações foram registradas em vestuário (110%), eletrodomésticos (86%) e móveis (2%).

Na comparação mensal, por sua vez, vestuário lidera o crescimento, ao registrar alta de 29%. Na sequência estão lojas de departamento (27%), móveis (16%) e supermercados (7%).

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais