Hippus

Nordeste em festa

Crédito: Allan Damasceno

Todos os anos, o município de São José de Mipibu, na região metropolitana de Natal (RN), faz uma festança em março, promovida pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM). O motivo são as vaquejadas, um dos principais esportes equestres praticado na região. Neste ano, o 9º Congresso & Derby e a 2ª Copa dos Campeões de Vaquejada receberam 308 atletas, 30% a mais que no ano passado. As duas competições reuniram uma tropa de 568 cavalos quarto de milha, um crescimento de 21% ante 2017. Em quatro dias de evento, os conjuntos cavalo e cavaleiro disputaram prêmios em 17 categorias, que totalizaram R$ 360 mil.

Jovens bem cotados

O empresário paranaense do setor de comunicação Mariano Lemanski, que também é dono da cabanha São Rafael, do município de Balsa Nova (PR), é um dos maiores criadores da raça crioulo no País. Em março, ele realizou o seu seu tradicional leilão anual, que faturou R$ 1,6 milhão, com média de R$ 30,3 mil. Os destaques ficaram por conta dos animais jovens, parte deles com até dois anos de idade. Mas o lance de maior valor ficou por um animal mais erado. A égua Bainha do Purunã (foto) de oito anos foi arrematada por R$ 200 mil.

Estrelas em ascensão

Um dos maiores remates de quarto de milha da agenda anual dos criadores da raça superou os números de 2017. Realizado há sete anos em março, o leilão Show de Estrelas e Convidados é organizado pelo criador Dirley Rugolo, do haras Raphaela, de Tietê (SP). O evento deste ano faturou R$ 2,9 milhões, 31,8% a mais na comparação com a edição passada. O animal mais valorizado foi a fêmea Cashanova Royal, arrematada por R$ 540 mil. A égua foi vendida pelo criador convidado Guy Rodrigues Peixoto Jr., dono do Rancho Horizonte, de Gravatá (PE), para o paulista Wilson Vitório Dosso, dono do haras WV, de Lucélia (SP).

Brasil faz bonito nos Estados Unidos

Thierry Billet

Os atletas Rodrigo Pessoa e Rodrigo Lambre conquistaram, respectivamente, o segundo e o terceiro lugar no Grande Prêmio da Federação Internacional de Esportes Equestres do torneiro de hipismo de Winter Equestrian Festival, realizado no Estado da Flórida, nos Estados Unidos. O ouro ficou com o irlandês Daniel Coyle. A temporada americana faz parte da preparação e observação para a formação do Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais 2018. Os jogos estão marcados para o período de 10 e 23 de setembro na cidade americana de Mill Spring, na Carolina do Norte.

Destaque nas rédeas

Aos poucos, o cavalo crioulo vem ocupando o território do quarto de milha nas provas de rédeas. No início de março, a raça gaúcha conquistou mais pontuações no ANCR Derby 2018. A sigla é uma referência à Associação Nacional de Cavalos de Rédeas, promotora do evento. O torneio realizado em Avaré (SP) é um dos principais da modalidade no País. Os cavalos Basco Bacarat TE, de Fabiano Araújo, do Rancho Oquytã, em Vargem Grande do Sul (SP), e Estupendo Marca dos Santos, do lutador Rogério Minotouro, dividiram a primeira colocação na categoria Pré-Futurity Aberta Nível 4. No ranking da ANCR 2017/2018, os animais estão respectivamente em oitavo e nono lugar.

Conquistando os Estados Unidos

Divulgação

A égua da raça árabe Queen Ayda FWM (foto) é um dos animais favoritos para o Arabian Breeders World Cup, marcado para o período de 12 a 15 deste mês, em Las Vegas, nos Estados Unidos. O principal torneio mundial de morfologia do cavalo árabe premia os melhores animais da raça. Queen Ayda pertence ao criador paulista Paulo de Castro Marques, do haras Lone Star, em Silvianópolis (MG). No ano passado, a fêmea foi a grande campeã égua pelo US National Arabian & Half Arabian Championship Horse Show, em Tulsa, Oklahoma, nos Estados Unidos. Este ano, ela foi a grande campeã égua na Scottsdale Arabian Horse Show em Scottsdale, no Estado do Arizona, também nos Estados Unidos.