Negócios

Copersucar inicia obras do Terminal de Etanol em Paulínia com investimento de R$ 150 milhões

Capacidade de armazenagem será de 180 milhões de litros de etanol a partir de 2014

A Copersucar, maior comercializadora de açúcar do Brasil e líder global na comercialização de etanol, anuncia o início das obras do seu primeiro terminal de etanol, na cidade de Paulínia, no interior de São Paulo. Com investimentos de R$ 150 milhões e capacidade total de armazenagem de 180 milhões de litros na sua primeira fase, com previsão de atingir 360 milhões de litros na segunda fase de implantação, o Terminal de Paulínia funcionará como importante hub da Copersucar no interior de São Paulo para a centralização, o gerenciamento e o transporte de todo o etanol produzido pelas usinas da região, um dos principais polos sucroenergéticos do país. A implantação do Terminal de Etanol de Paulínia é um dos projetos que compõem o plano de investimentos da Copersucar, que está aplicando R$ 2 bilhões em logística até 2015, dos quais R$ 300 milhões já foram empregados nas duas últimas safras. Os recursos visam mais eficiência e expansão da capacidade de armazenagem e transporte de etanol e açúcar.

Na primeira fase da obra, o terminal contará com dez tanques de armazenamento de etanol, com capacidades de armazenamento de 5, 20 e 40 milhões de litros de etanol, além de 100 vagas para o estacionamento de caminhões. O volume total de movimentação previsto para o Terminal na Fase I é de 2,3 bilhões de litros de etanol por safra. Em termos de comparação, o volume equivale a quase metade de todo etanol comercializado pela Copersucar na safra 2012/2013, de 4,7 bilhões de litros. A primeira fase da obra tem entrega programada para fevereiro de 2014, próximo ao início da safra 2014/2015. Erguido em uma área de 356 mil metros quadrados de terreno próprio da  Copersucar, o terminal atende a critérios técnicos de excelência nos âmbitos operacional e tecnológico. ³O projeto do Terminal foi concebido com base nas melhores referências para este tipo de instalação e, para isso, buscamos trazer as melhores práticas em termos ambientais, tecnológicos e comunitários, priorizando os aspectos sustentáveis da obra², detalha o diretor-presidente da Copersucar, Paulo Roberto de Souza. A obra já obteve todas as licenças ambientais e atende integralmente aos padrões exigidos pela Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental). 

O novo terminal será integrado ao sistema de dutos da Logum, empresa da qual a Copersucar é uma das sócias, com participação de 20%, e ao sistema da Replan (Refinaria de Paulínia), da Petrobras. Esse sistema de dutos também está em construção e o primeiro trecho, localizado entre Ribeirão Preto e Paulínia, entrará em operação nos próximos meses. Além do aumento da competitividade do etanol, a conjugação desses empreendimentos representará um significativo ganho de sustentabilidade socioambiental, com a redução do volume de trânsito de caminhões nas rodovias e vias urbanas da região. Outros Investimentos

Para o açúcar, a companhia está finalizando as obras de expansão do Terminal Açucareiro Copersucar (TAC), em Santos. O investimento, de R$ 125 milhões, otimizará o embarque de açúcar, possibilitando o atendimento de navios maiores e dobrando a capacidade de embarque para 5,4 mil toneladas hora, além de adicionar mais 110 mil toneladas à capacidade de armazenagem fixa de açúcar, agora para 320 mil toneladas. A conclusão das obras está prevista para o primeiro semestre de 2013. Sobre a Copersucar S/A: Constituída em 2008, é a maior comercializadora brasileira de açúcar e etanol integrada à produção. Seu modelo de negócio, considerado único, combina a produção das 48 usinas produtoras sócias e de cerca de 50 unidades não sócias, com um sistema integrado de logística, transporte, armazenamento e comercialização em grande escala, nos mercado interno e externo.