• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 187 08.08Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias06/05/2022

Ouro fecha dia em alta como refúgio contra inflação, mas tem 3ª queda semanal

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo06/05/22 - 15h31min

O contrato mais líquido do ouro fechou em alta nesta sexta-feira, 6, em sessão na qual investidores buscaram o metal como um seguro contra a inflação. As perspectivas para novos aumentos de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), o que impulsiona os rendimentos dos Treasuries, seguem pesando sobre a commodity, o que levou o ouro a fechar em queda pela terceira semana consecutiva. No entanto, há avaliação entre especialistas de que a alta nos preços ainda supera o aperto buscado pelo banco central.

O ouro para junho encerrou a sessão com alta de 0,38%, a US$ 1.882,80 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na semana, houve recuo de 1,51%.

O presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou que "aumentos de 50 pontos-base devem estar na mesa nas próximas reuniões", mas esse ritmo de alta não é forte o suficiente para pressionar significativamente o ouro, afirma Adrian Day, CEO da Adrian Day Asset Management.

Em sua coletiva de imprensa, Powell descartou a opção de aumentos de 75 pontos-base no curto prazo. "As projeções mais agressivas das ações do Fed nos próximos 12 meses levarão os juros a cerca de 3,4%. A inflação está em 8,5%, o que é mais negativo em termos reais do que estávamos em 1975-76, no início da grande inflação da década de 1970", diz Day.

No entanto, o metal recuou na semana, e o Commerzbank vê os rendimentos dos Treasuries como o principal fator que pesa sobre seu preço: em seu pico, os juros de dez anos subiram acentuadamente para 3,11% na quinta, seu nível mais alto em 3 anos e meio. "Como as expectativas de inflação baseadas no mercado não mudaram, as taxas de juros reais também aumentaram visivelmente. Isso tornou o ouro menos atraente como investimento alternativo", avalia o banco alemão.

Sobre o payroll (dado de emprego dos EUA) divulgado nesta sexta, o Commerzbank minimiza o impacto, e avalia que os dados provavelmente só teriam algum impacto perceptível no preço do ouro caso se desviassem significativamente das expectativas.

*Com informações Dow Jones Newswires.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
MERCADO DE OURO