• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Negócios30/05/2022

Para onde está indo o leite?

EXPORTAÇÃO
Limitações dos grandes players abrem espaço para o Brasil. Mas pelos desafios do setor, ainda será um projeto para médio e longo prazos

(Créditos: Montagem sobre foto Istock)
Everton Sylvestre
Texto por:Everton Sylvestre30/05/22 - 21h18min

Produtores de leite enfrentam um cenário desafiador em meio a um mercado estagnado. A fama de vilão nessa história recai bastante sobre os grãos. Na prática, não é só fama, pois são o principal insumo na alimentação do gado, que pesa bastante nos custos de produção. E vem acompanhado dos aumentos de preço de combustíveis e energia elétrica. O alívio que poderia vir da outra ponta da cadeia também não acontece. Como até o momento o leite nacional e seus derivados não são referência em exportação, o escoamenta da produção fica restrito ao mercado nacional. Mas com o poder aquisitivo arrochado, o consumidor brasileiro restringiu o espaço, por exemplo, para queijos e iogurtes em seu carrinho de compras.

Leite produzido no brasil em 2020 (litros) 25,5 bilhões

[gallery ids="474386,474391,474390,474389"]

“O consumo de lácteos caiu. Temos um patamar de oferta e demanda mais baixo do que antes”

A produção de leite no Brasil em 2020 foi recorde: 25,53 bilhões de litros sob inspeção, conforme dados do Anuário Leite Embrapa 2021. Entretanto, isso representa 3,15% a mais do que os 24,75 bilhões de litros produzidos em 2014, permitindo a constatação de que a produção está estagnada. Principalmente, levando-se em conta que de 2000 até 2014 o crescimento foi contínuo, chegando a 104%. Depois, vieram quedas sucessivas em 2015 e 2016, e desde então a retomada do avanço tem sido lenta. Somente em 2019 o setor voltou a superar a produção de 2014, em apenas 1,05%.

nança para o setor. Desde então, a entidade registra aumento médio de 5% ao ano na produção de peixes em cativeiro. No ano passado, o ritmo se manteve com alta de 4,7% sobre o ano anterior. Foram 841 mil toneladas produzidas. “A piscicultura representa a atividade de produção animalW