Economia

Para presidente da FPA, agronegócio deve adaptar discurso lá fora conforme o país

Para presidente da FPA, agronegócio deve adaptar discurso lá fora conforme o país

São Paulo, 5 – O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), disse que o setor agropecuário brasileiro deve adaptar seus discursos no exterior de acordo com o mercado. “A mesma comunicação que eu tenho de formular para a União Europeia é a mesma que eu faria para a Ásia? Não. E com os países árabes?”, disse ele nesta segunda-feira, 5, durante o Congresso Brasileiro do Agronegócio promovido nesta data em São Paulo pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag). “Dentro de cada embaixada lá fora devemos ter nossa sala de comunicação e imagem”, continuou.

Ele disse também que o setor agropecuário brasileiro já deve se preparar para o Brexit – quando o Reino Unido deixar de fazer parte da União Europeia. “O Reino Unido tem todos os seus contratos atrelados à União Europeia. Quando ele sair do bloco, não terá mais nenhum contrato, nenhum”, disse ele, sugerindo que o Brasil deve aproveitar essa oportunidade.

Moreira criticou, porém, o discurso europeu, de que o agronegócio brasileiro polui e não é sustentável. “A Alemanha, por exemplo: que conversa devemos ter com este país? Eles falam que nós produzimos com veneno, mas as empresas mais fortes em defensivos são a Bayer e a Basf, que são alemãs”, criticou ele, e foi aplaudido. “Temos de separar o que é fake news do que é fato.”