Notícias

Petróleo fecha em alta, apoiado por apetite a risco nos mercados

Os contratos futuros do petróleo fecharam em alta nesta quinta-feira, recuperando-se parcialmente das fortes quedas registradas no pregão de quarta-feira, após uma sessão volátil. Os ganhos, entretanto, não foram suficientes para levar o WTI de volta para a casa de US$ 70 por barril. A alta se deu em meio à busca pelo risco nos mercados internacionais, embora a preocupação com a variante delta do coronavírus, em especial na China, siga presente, dizem especialistas.

O barril do petróleo WTI com entrega prevista em setembro avançou 1,38% (US$ 0,94), a US$ 69,09, na New York Mercantile Exchange (Nymex). Na Intercontinental Exchange, o barril do Brent para outubro fechou em alta de 1,29% (US$ 0,91), a US$ 71,29.

Na visão da Oanda, o petróleo WTI se recupera à medida que o apetite por risco avança em Wall Street e após dados do comércio exterior mostrarem melhora nas exportações do óleo americano em junho.

“O ganho de hoje no preço, no entanto, ainda é modesto, uma vez que a perspectiva sobre a demanda está sendo prejudicada com a variante delta avançando sobre 15 províncias da China”, diz o analista Edward Moya.

Para o Commerzbank, embora as preocupações com a demanda chinesa sejam latentes, há notícias otimistas a serem pontuadas em relação ao petróleo e que podem ter contribuído para a melhora em seu desempenho.

“A Arábia Saudita, por exemplo, aumentou seus preços de venda oficiais para entregas em setembro para a Ásia e os EUA, o que aponta para uma demanda robusta por petróleo nessas regiões”, afirma a analista Barbara Lambrecht.

Dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos, divulgados na quarta, sobre a queda dos estoques de gasolina também podem ser vistos como um sinal de que o país recupera o nível normal para o período de verão, que se dá atualmente no hemisfério norte, segundo a economista.

“O preço também tem sido sustentado pela contínua falta de qualquer recuperação significativa da produção de petróleo dos Estados Unidos. Ela simplesmente não está aumentando e segue a 11,2 milhões de barris por dia”, diz Lambrecht.

Ainda nesta quinta, Israel lançou ataques aéreos sobre o Líbano, em resposta aos foguetes lançados em seu território nesta semana. A tensão no Oriente Médio não provocou reação imediata dos investidores, mas deve continuar sendo monitorada.

Veja também

+ Restaurante japonês que fez festa de swing lança prato chamado “suruba”
+ Cantor Ovelha abre frangaria em São Paulo com a ajuda de Ratinho
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mineral de Marte raro na Terra é achado na Antártida
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Atriz pornô é demitida de restaurante por causa de “cliente cristão”
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

petroleo