• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias14/01/2022

Petróleo fecha em alta, com menor temor por Ômicron e termina semana com ganhos

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo14/01/22 - 17h20min

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta nesta sexta, 14, encerrando uma semana de ganhos para o barril marcada por uma menor preocupação com os impactos da variante Ômicron do coronavírus para a demanda. No atual estágio, uma nova liberação de reservas é discutida por países consumidores, com destaque para a China, que registrou um aumento nas importações de petróleo em dezembro.

O petróleo WTI com entrega prevista para fevereiro fechou em alta de 2,07% (US$ 1,70), a US$ 83,82 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para março subiu 1,88% (US$ 1,59), a US$ 86,06 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE). Na semana, os contratos mais líquidos acumularam ganho de 6,23% e 5,27%, respectivamente.

Na avaliação de Edward Moya, analista da Oanda, o mercado de petróleo permanecerá muito apertado este ano e provavelmente nos próximos anos, já que a maioria das empresas de energia não está investindo em novos projetos de perfuração maciços. O número de poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA subiu 11 na última semana, a 492, informou hoje a Baker Hughes.

Na visão de Moya, o presidente dos EUA, Joe Biden, pode recorrer a outro lançamento de reservas estratégicas (SPR, na sigla em inglês) e, embora isso não resolva nenhum problema, pode enviar o WTI para o nível de US$ 80. Hoje, a Reuters publicou que a China vai liberar petróleo de suas reservas perto do feriado do ano-novo lunar, que começa em 1 de fevereiro, como parte de um plano coordenado pelos EUA com outros grandes consumidores para ajudar a reduzir os preços globais da commodity. Se o barril de petróleo estiver acima de US$ 85, a China liberará uma fatia maior de suas reservas, disse uma das fontes.

Com a balança comercial do país divulgada hoje, o Commerzbank nota que a China importou significativamente mais petróleo em dezembro. Como relatado, as importações subiram para uma alta em nove meses de 10,87 milhões de barris por dia no mês passado, o que as colocou quase 20% mais altos do que em dezembro anterior, lembra o banco alemão.

Na semana, a Capital Economics nota que o petróleo subiu, aparentemente com otimismo de que o impacto na demanda por transporte da onda da Ômicron em andamento será de curta duração. No entanto, com a mobilidade caindo nas principais economias e a China reprimindo novos focos do vírus, "achamos que a demanda não atenderá às expectativas do mercado, o que provocaria uma queda nos preços", pondera a consultoria.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais