• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias15/10/2021

Petróleo sobe 1% hoje e 3% na semana, com possível alta na demanda

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo15/10/21 - 17h02min

O petróleo fechou em forte alta nesta sexta-feira, 15, estendendo seus ganhos recentes em meio à perspectiva de melhora da demanda global em um cenário de oferta já apertada. A crise energética e a manutenção dos planos de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), mesmo com a mudança no mercado de energia global, é citada por analistas como os principais fatores que explicam o rali do óleo.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do petróleo WTI para novembro subiu 1,19% hoje, e 3,69% na semana, a US$ 82,28, enquanto o do Brent para dezembro avançou 1,02% nesta sexta-feira, e 3% no acumulado dos últimos sete dias, a US$ 84,86, na Intercontinental Exchange (ICE).

Com a alta de hoje, o WTI voltou a fechar em seu maior nível em sete anos pela segunda vez nesta semana, e os contratos chegaram a sua oitava semana seguida de ganhos no mercado futuro. O rali da commodity energética é explicado pelo déficit de oferta no mercado, o que pode piorar caso a crise energética, que fez os preços do gás natural e do carvão dispararem, provocar uma corrida por petróleo, avalia o analista Edward Moya, da Oanda.

Moya ainda cita o aumento da demanda por combustível de aviação, à medida que os EUA se abrem para viagens internacionais, como outro fator que pode deixar o mercado do óleo ainda mais apertado em breve.

"Serão necessários alguns eventos para frear essa alta do preço do petróleo: a Opep+ deverá aumentar a sua produção para além do acréscimo previsto de 400 mil barris por dia em novembro; o clima quente precisará atingir o hemisfério norte; e o governo Biden precisará liberar reservas estratégicas" dos EUA, estima o analista.

Para a Capital Economics, o fator mais determinante para, eventualmente, o rali do petróleo terminar é um aumento maior da produção da Opep+. Isso, no entanto, não parece que vai ocorrer, a menos que o cartel abandone seu sistema de cotas atualmente em vigor, de acordo com a consultoria britânica.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
mercado