• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias22/01/2022

PGR cobra fundamentos do decreto que muda regras de proteção das cavernas

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo22/01/22 - 15h15min

A Procuradoria-Geral da República oficiou os ministros do Meio Ambiente, Joaquim Leite, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, além do advogado-geral da União, Bruno Bianco Leal, cobrando informações sobre o decreto do que altera as regras de proteção de cavernas, autorizando intervenções para obras e empreendimentos considerados de utilidade pública. A medida criticada por especialistas, que apontam risco de destruição de centenas de grutas milhares de espécies que vivem nas mesmas - além do risco de novas epidemias e pandemias.

Aos Ministérios, a Procuradoria pediu o histórico normativo do tema, incluindo alterações em 1990, 2008 e 2022, com as razões que levaram às mudanças e a avaliação dos resultados e dos impactos das mesmas. À AGU, o Ministério Público Federal requisitou ‘considerações preliminares sobre a constitucionalidade’ do decreto.

Segundo o MPF, as informações serão analisadas pela Assessoria Constitucional do Gabinete do procurador-geral da República Augusto Aras com o objetivo de subsidiar atuação perante o Supremo Tribunal Federal no caso. O partido Rede Sustentabilidade já acionou a corte máxima pedindo a suspensão imediata do decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, classificando a mesma como um ‘retrocesso ambiental’.

Ainda de acordo com a Procuradoria, os ofícios foram assinados na segunda-feira, 17. Em tal data, a Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal oficiou Aras e a Procuradoria da República no Distrito Federal para que fosse avaliada a adoção de providências contra a norma na Justiça.

A Procuradoria da República no Distrito Federal já instaurou inquérito civil sobre o assunto, para analisar a possibilidade de questionar o decreto em primeira instância.

Segundo a Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal, o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro reduz a proteção das cavernas brasileiras, permite a destruição de cavidades consideradas relevantes e ameaça áreas intocadas. Segundo o grupo, a norma não observou princípios constitucionais como o da vedação ao retrocesso ambiental.

"Nos deparamos com uma regulamentação que fragiliza ainda mais o sistema de proteção do patrimônio espeleológico, podendo ocasionar sua drástica redução com prejuízos graves à União e a todos os titulares do direito ao patrimônio natural", afirmou a subprocuradora-geral da República Julieta Albuquerque em documento remetido à PGR e ao MPF-DF.

A PGR informou que o tema do decreto é objeto de análise do Ministério Público Federal desde o ano passado, indicando ainda que foram feitas reuniões entre representantes do Ministério de Minas e Energia (MME) e das Câmaras de Coordenação e Revisão ligadas ao assunto. Lembrando que o País conta com cerca de 30 mil cavidades subterrâneas, com características diversas, Aras afirmou que "a adequada proteção desse patrimônio demande análises e ações complexas".

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
cavernas