Geral

Polícia Civil investiga vereador suspeito de desvio em combustível

A Polícia Civil do Rio de Janeiro cumpre hoje (6) 13 mandados de busca e apreensão em endereços ligados a um vereador de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na Operação Pit Stop. Conduzida pela Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD), a investigação visa a desmontar um esquema de desvio de combustível.

As buscas ocorrem na residência e no gabinete do parlamentar na Câmara de Vereadores. “A ação visa a localizar documentos e provas materiais da participação dele no esquema conhecido como bica ou baldinho, onde motoristas de transporte de combustíveis desviam parte do material transportado em depósitos de abastecimento”, informou a Polícia Civil.

A investigação começou em junho e indicou a formação de uma quadrilha que age a partir de depósitos que ficam próximos a distribuidoras de combustíveis. “Os armazéns funcionam como uma espécie de pit stop, onde os motoristas furtam parte fracionada do combustível e adulteram o lacre do que será transportado. O combustível furtado é redistribuído aos postos de gasolina de propriedade do investigado e revendido a preço de mercado”, diz nota da corporação.

Segundo a polícia, a fraude gerava lucro de R$ 1,5 milhão por mês. O nome do vereador investigado não foi divulgado. A investigação começou com uma ação da DDSD em um desses depósitos, localizado em Campos Elíseos, em Duque de Caxias, onde foram encontrados quatro tanques de 15 mil litros, lacres de transporte, dois caminhões-tanque e veículos de um restaurante de propriedade do vereador.

A análise das operações financeiras do parlamentar apontaram movimentações superiores aos ganhos declarados em apostas de resultados de futebol pela internet, com perdas superiores a R$ 2 milhões.

Polícia Civil investiga vereador suspeito de desvio em combustível

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro