Economia

Preços de tomate, cenoura e alface avançam no atacado em julho, diz Conab

Crédito: Arquivo / Agência Brasil

As principais altas foram as de tomate, cenoura e alface, informa a Conab (Crédito: Arquivo / Agência Brasil)

São Paulo, 17 – Os preços de hortaliças comercializadas nas principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) apresentaram avanço em julho em decorrência das geadas que atingiram o Brasil. As principais altas foram as de tomate, cenoura e alface, informa a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no 8º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), divulgado nesta terça-feira, 17.

A pesquisa da Conab considera as cinco hortaliças (batata, cenoura, cebola, tomate e alface) com maior representatividade na comercialização nas principais Ceasas do País e que registram maior destaque no cálculo do índice de inflação oficial (IPCA).

+ Alta do preço do tomate é destaque no mercado atacadista em abril, diz Conab

A cenoura teve mais de 50% de alta nos mercados atacadistas em cinco Estados analisados. Em Vitória (ES), o avanço alcançou 64,57%. A queda na quantidade de cenouras nos mercados analisados foi de quase 10% na comparação com junho e de 6% ante julho/2020 em decorrência das baixas temperaturas e do intervalo entre a safra de verão e a de inverno, que está começando. “Para o início de agosto, os preços continuam em níveis elevados, porém menores do que os registrados em julho”, informa a Conab em comunicado.

Já o tomate, segundo o órgão, deve continuar se valorizando no atacado, impulsionado pelas baixas temperaturas que atrasam a colheita e reduzem a oferta. Em julho, houve também geadas.

Cebola e batata foram na direção contrária e recuaram no mês passado. A batata foi pressionada pela oferta farta até meados de julho – este mês, porém, a tendência é de alta nos preços, segundo a Conab, porque as geadas alteraram os produtos que serão colhidos. O preço da cebola caiu porque a produção em Goiás, Minas Gerais e São Paulo aumentou.

Frutas

As frutas, em geral, também se valorizaram por causa do tempo mais frio, de acordo com a Conab. “Com isso, os preços permaneceram em bons patamares, mesmo na presença de demanda fraca”, afirma o órgão. O mamão registrou alta nos preços por causa da oferta restrita. Já a banana teve oscilações de preços a depender da demanda no varejo e da intensidade de vendas da variedade prata.

Índice de preços da Ceagesp

O Índice de Preços da Ceagesp, usado para medir variações no entreposto de São Paulo, terminou julho com avanço de 11,2% motivado por geadas no Centro-Sul do Brasil. Mesmo assim, no acumulado do ano, o resultado ainda é de queda de 8,4%. A expectativa é de preços firmes em agosto com a volta às aulas.

Veja também

+ Restaurante japonês que fez festa de swing lança prato chamado “suruba”
+ Cantor Ovelha abre frangaria em São Paulo com a ajuda de Ratinho
+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Como fazer seu cabelo crescer mais rápido
+ Vem aí um novo megaiceberg da Antártida
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mineral de Marte raro na Terra é achado na Antártida
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Atriz pornô é demitida de restaurante por causa de “cliente cristão”
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?