• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 185 08.04Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias02/11/2021

Presidente da Argentina defende remuneração a ações de proteção ambiental

Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo02/11/21 - 08h58min

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, defendeu nesta terça-feira, 2, durante o segundo dia de apresentação de líderes durante a Convenção do Clima (COP-26), na Escócia, que ações que visem à proteção do meio ambiente sejam remuneradas. "Para progredir com a agenda de transformação, é importante estabelecer mecanismos de pagamento para sistemas sustentáveis, a fim de pagar a dívida pelo clima, e instalar o conceito de dívida ambiental", disse.

Este também é um dos argumentos do Brasil, principalmente quando é criticado sobre a forma como coordena ações na Amazônia. O Ministério do Meio Ambiente quer que os países ricos, principalmente, reconheçam que há um custo em manter a "floresta em pé" e alega que é preciso pagar por essa iniciativa.

Fernández salientou que a crise econômica causada pela pandemia de coronavírus deve ser rebatida com ações voltadas para a transição verde.

O argentino também falou que os frutos do Acordo de Paris têm mostrado a importância do combate à mudança climática pelos países como uma política de Estado. "É tempo de agir. Vamos fazer isso juntos", afirmou em seu discurso, no qual reafirmou o compromisso de Buenos Aires com o pacto fechado em 2015 na capital francesa.

Sobre seu país, Fernández comentou que estão passando por uma transição de fonte de energia e explorando formas alternativas de gerar de eletricidade. "É um objetivo tangível", garantiu.

Na lista divulgada pela organização, 117 chefes de Estado ou de governo iriam se pronunciar na segunda-feira e terça, dias que são considerados a abertura do evento, previsto para ocorrer até o dia 12. O presidente brasileiro Jair Bolsonaro não estava no rol. Depois de participar da reunião de cúpula das 20 maiores economias do globo (G20), em Roma, o chefe do Executivo viajou para o norte da Itália para conhecer a região de onde veio sua família. Ele já havia dito que não participaria da COP-26.

Alguns líderes que também não foram ao evento gravaram vídeo ou enviaram seus discursos por escrito. Bolsonaro fez uma apresentação de cerca de 5 minutos por vídeo gravado num evento paralelo à Convenção, voltado para o Brasil. Nessa apresentação, o presidente e o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, anunciaram uma meta mais ambiciosa para a redução de emissões de gases poluentes até 2030, de 43% para 50%.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
Alberto Fernández