Notícias

Safra se confirma como a segunda maior da história com 228,3 milhões de toneladas

Crédito: Foto: divulgação

São Paulo, 11 – A produção brasileira de grãos deve encerrar o ciclo 2017/2018 com um total de 228,33 milhões de toneladas, a segunda maior da história do País, representando queda de 3,9% (menos 9,4 milhões de toneladas) em comparação com o período anterior, quando atingiu recorde de 237,67 milhões de toneladas. Isso é o que mostra o 12º e último levantamento sobre a safra 2017/2018 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta terça-feira, 11.

O resultado também é 0,1% menor (234 mil toneladas a menos) ante o levantamento anterior, de agosto, quando a Conab estimou a safra 2017/18 em 228,57 milhões de toneladas.

A área manteve-se próxima à estabilidade, com ligeira alta de 1,4% (mais 859,8 mil hectares), passando de 60,9 milhões de hectares para recorde de 61,7 milhões de hectares.

Segundo a Conab, a área só não foi maior porque houve redução na área de milho primeira e segunda safras. Em relação à safra anterior, a área de milho primeira safra reduziu de 5,48 milhões para 5,08 milhões de hectares e a área de segunda safra reduziu de 12,10 milhões para 11,56 milhões de hectares em razão, principalmente, da expectativa futura de mercado.

A soja continua como importante destaque entre as culturas analisadas, apresentando crescimento de área e produtividade. A oleaginosa registrou produção recorde, atingindo colheita de 119,28 milhões de toneladas, aumento de 4,6% em comparação com a safra anterior (118,99 milhões de toneladas).

A safra total de milho deve alcançar 81,36 milhões de t, queda de 16,8% ante a safra anterior (82,18 milhões de toneladas). Do total da produção de milho, 26,8 milhões de toneladas (menos 12%) deverão ser colhidas na primeira safra e 54,5 milhões de toneladas (menos 19,1%) na segunda safra.

A Conab destaca, ainda, a estimativa de aumento da produção de algodão em pluma, calculada em 2 milhões de toneladas, representando aumento de 31,1% em relação à safra passada. A área plantada com a fibra deve atingir 1,17 milhão de hectares, o que representa um crescimento de aproximadamente 25%, e uma produtividade (algodão em caroço) de 4.267 quilos por hectare.

A safra total de feijão deve alcançar 3,11 milhões de toneladas (queda de 8,3% ante 3,18 milhões de t em 2016/17). A primeira safra de feijão está projetada em 1,28 milhões de toneladas (queda de 5,8%). A segunda safra da leguminosa deve atingir 1,21 milhões de toneladas (mais 1,2%) e a terceira safra do grão está projetada em 619,2 mil toneladas (menos 26,1%).

A produção de arroz deve cair 2,1%, de 12,03 milhões de toneladas para 12,07 milhões de toneladas. Já safra de trigo, cultivado no inverno, deve ser de 5,24 milhões de toneladas, em comparação com 5,14 milhões de toneladas em 2017, representando aumento de 22,9% entre os dois períodos.