Sustentabilidade

Produtores dos EUA comemoram decisão de redução de tamanho de áreas protegidas

Crédito: Divulgação

Chicago, 5/12 – Agricultores e pecuaristas vão se beneficiar da decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de reduzir o tamanho de duas áreas protegidas no Estado de Utah, segundo a Federação Agrícola Americana. O grupo diz que a decisão ajuda a reverter a “proteção abusiva” de centenas de milhares de hectares de pastagens, determinada durante o governo de Barack Obama.

De acordo com o presidente da federação, Zippy Duvall, as proibições e restrições nessas áreas protegidas, conhecidas como monumentos nacionais, vinham prejudicando produtores rurais norte-americanos.

Na segunda-feira, Trump reduziu significativamente o tamanho dos monumentos nacionais Bears Ears e Grand Staircase-Escalante, em Utah. O primeiro, criado no ano passado por Obama, teve sua área reduzida a cerca de um sétimo do tamanho original, para 81 mil hectares.

O monumento nacional Grand Staircase-Escalante, criado pelo presidente Bill Clinton em 1996, terá sua área reduzida em quase 50%, para cerca de 405 mil hectares. Monumentos são reservas protegidas sob jurisdição federal e podem incluir características importantes em termos culturais e históricos. Eles funcionam como parques nacionais, mas podem ser criados pelo presidente. Parques nacionais são criados por um ato do Congresso.

Nas últimas décadas, a expansão de áreas protegidas pelo governo federal ganhou impulso com presidentes democratas, que criaram reservas que proíbem ou limitam a mineração, pesca, extração de madeira e criação de animais. Essas medidas destinaram uma área maior para o turismo e para a preservação da vida selvagem, mas irritaram produtores rurais e empresários.

Em Salt Lake City, capital de Utah, Trump disse que essas regulamentações prejudicam moradores locais cujos empregos estão ligados às vastas terras federais na região. “Aqui e em outros Estados afetados temos visto restrições prejudiciais e desnecessárias à pesca, à criação de gado e ao desenvolvimento econômico responsável”, disse Trump.

Ainda na segunda-feira, uma coalizão de dez grupos ambientalistas entrou com uma ação em um tribunal distrital de Washington para tentar invalidar a medida de Trump.

O presidente deve em breve seguir a recomendação do secretário do Interior, Ryan Zinke, para reduzir o tamanho de outros monumentos do país ou torná-los menos restritivos. Isso faz parte de um plano mais amplo do governo Trump de liberar mais terras federais para atividades econômicas tradicionais como mineração. Fonte: Dow Jones Newswires.