Notícias

Redução na safra é insuficiente para causar impacto de preço no varejo, diz IBGE

Rio, 12 – A safra nacional de grãos deste ano será 12,5 milhões de toneladas menor do que a colhida em 2017. A diferença, porém, não é relevante para justificar um aumento nos preços dos alimentos no varejo, avaliou Carlos Barradas, gerente na Coordenação de Agropecuária do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A estimativa para a produção nacional de grãos em 2018 é de 228,1 milhões de toneladas, a segunda maior safra da série histórica. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio.

“Apesar da queda em relação ao ano anterior, essa é a segunda maior informação de produção do Brasil. Então a gente pode considerar uma safra muito boa em termos de produção agrícola. É que ficamos mal acostumados porque a produção do ano anterior foi excelente”, lembrou Barradas.

Em maio, houve melhora nas previsões para a produção de algodão herbáceo (aumento de 4,5% em relação a abril), café canephora (4,1%), café arábica (2,9%), milho 1ª safra (0,2%) e soja (0,1%). As estimativas foram revisadas para baixo no feijão 1ª safra (-0,2%), milho 2ª safra (-3,4%), feijão 3ª safra (-4,5%) e feijão 2ª safra (-5,1%).

A estimativa da produção de algodão ficou em 4,7 milhões de toneladas. Em relação a abril, os maiores aumentos foram em Mato Grosso (144,7 mil toneladas) e na Bahia (57,5 mil toneladas).

Em Mato Grosso, a estimativa da produção foi de 3,1 milhões de toneladas (aumento de 4,9% em relação a abril) e área plantada de 765,2 mil hectares (aumento de 5,2%). Já o rendimento médio encolheu 0,3%.

Na Bahia, a estimativa da produção foi de 1,1 milhão de toneladas, aumento de 5,7% em relação ao mês anterior. A área plantada cresceu 1,6%, totalizando 264,2 mil hectares, e o rendimento médio subiu 4,0%, beneficiado pelo clima favorável às lavouras no oeste do Estado.