Negócios

SAB Therapeutics desenvolve soro contra covid-19 extraído de plasma de vacas

Crédito: AFP/Arquivos

Técnica de laboratório organiza amostras de sangue antes de fazer testes de COVID-19, em 29 de maio de 2020, em Besançon, na França (Crédito: AFP/Arquivos)

A empresa norte-americana SAB Therapeutics está realizando testes em animais de grande porte para produção de soro com anticorpos contra o coronavírus. Se tudo der certo, o produto poderá ser usado no tratamento da covid-19.

Os testes são feitos com um anticorpo policlonal extraído do plasma de vacas geneticamente modificadas e que recebeu o nome de SAB-185. Esses anticorpos são como uma coleção de proteínas capazes de defender o organismo contra um patógeno, ou seja, o agente que causa uma doença.

+ Macacos e horas extras na corrida pela vacina em um laboratório chinês
+ Laboratório alemão fará primeiros testes de vacina contra COVID-19

Segundo o Gaúcha ZH, as vacas receberam cromossomos do sistema imune humano. Quando entram em contato com um invasor como o vírus, elas produzem anticorpos humano em vez de bovinos. Cada vaca produz 45 litros de plasma por mês e os testes clínicos com o produto devem começar nos próximos meses.

No Brasil, o Instituto Vital Brazil, ligado ao governo do Rio de Janeiro, conduz um estudo que usa cavalos para produção do soro que contém anticorpos policlonais do coronavírus para tratar pacientes infectados pela doença. Neste método, parecido com uma vacina, os animais recebem um pedaço da parte do coronavírus que não causa a doença e o organismo deles começa a produzir anticorpos.

A resposta pode ser detectada já em 15 dias, quando os anticorpos aparecem no organismo dos animais.  A primeira imunização aconteceu no dia 27 de maio e se os testes avançarem com sucesso, os medicamentos podem ficar disponíveis em seis meses.