• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 186 26.05Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias11/01/2022

Safra 2021 foi de 253,2 milhões de toneladas, queda de 0,4% ante 2020, diz IBGE

A queda, que passou a ser estimada em meados do ano, por causa da estiagem e das geadas do inverno

A queda, que passou a ser estimada em meados do ano, por causa da estiagem e das geadas do inverno

(Créditos: Arquivo / Embrapa)
Estadão Conteúdo
Texto por:Estadão Conteúdo11/01/22 - 10h53min - Atualizado em 11/01/22 - 11h34min

A safra agrícola de 2021 fechou com a produção de 253,2 milhões de toneladas de grãos, uma queda de 0,4% em relação a 2020, informou na manhã desta terça-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro.

A queda, que passou a ser estimada em meados do ano, por causa da estiagem e das geadas do inverno, frustrou a possibilidade de mais uma safra recorde. Ainda assim, a produção registrada em 2021 foi a segunda maior da série histórica do IBGE, iniciada em 1975. Ficou atrás apenas dos 254,1 milhões de toneladas de 2020, o recorde atual.

A área colhida em 2021 foi de 68,6 milhões de hectares, alta de 4,8%, ou 3,1 milhões de hectares a mais, na comparação com 2020.

+ Conab: 4ª estimativa para safra 2021/22 indica 284,39 milhões de t (+12,5%)

As produções de milho e cana são destaques na frustração da safra de 2021. A produção total de milho ficou em 87,8 milhões de toneladas, tombo de 15,0% ante 2020. A área plantada, de 19,7 milhões de hectares, foi 7,5% superior a do ano anterior. A segunda safra de milho, maior do País e, justamente, a mais atingida pela estiagem, foi de 62,1 milhões de toneladas, tombo de 18,9% ante 2020.

Já a cana-de-açúcar amargou uma queda de 10,1% na produção em 2021, com 609,3 milhões de toneladas. "A produtividade dos canaviais caiu 9,1% devido aos problemas climáticos enfrentados ao longo do ciclo da cultura. São Paulo, principal Estado produtor, produziu quase metade cana nacional: 301,8 milhões de toneladas, mesmo com a queda de produtividade de 13,8% em seus canaviais comparado ao ano anterior", diz a nota divulgada pelo IBGE.

No lado positivo, impedindo uma queda maior na produção da safra de 2021, os produtores de soja colheram 134,9 milhões de toneladas. Foi uma safra recorde de soja, 11,0% superior às de 2020, consolidando o Brasil como maior produtor mundial.

"O destaque de 2021 foi a recuperação da produção gaúcha, com crescimento de 80,8% frente a 2020, o que representou um incremento de 9,1 milhões de toneladas. No ano anterior (2020), as lavouras gaúchas foram acometidas por uma estiagem prolongada, que derrubou o rendimento médio e, consequentemente, a produção", diz a nota do IBGE.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
Até quando vai a inscrição do IBGE?