Negócios

São Martinho: a julgar pelos preços, País deve manter produção de açúcar em 2021

Crédito: Divulgação/São Martinho

A perspectiva é de que o Brasil mantenha o mix mais açucareiro e, assim, a produção robusta do adoçante na temporada 2021/22, avalia o diretor financeiro e de relações com investidores do Grupo São Martinho, Felipe Vicchiato (Crédito: Divulgação/São Martinho)

São Paulo, 1 – A perspectiva é de que o Brasil mantenha o mix mais açucareiro e, assim, a produção robusta do adoçante na temporada 2021/22, avalia o diretor financeiro e de relações com investidores do Grupo São Martinho, Felipe Vicchiato. A avaliação tem como base os elevados preços atuais, que estão 10% acima do observado na temporada anterior. Em teleconferência para divulgação de resultados na terça-feira, 30, ele ressaltou também a importância do câmbio e da demanda pelo produto para sustentar a remuneração atual.

+ Lucro líquido da São Martinho cresce 66,6% no 4º trimestre do ano safra 2019/20
+ São Martinho anuncia encerramento do período de moagem da safra 2019/20 

Nesse sentido, o executivo afirmou que o protagonismo no mercado global do adoçante deve ser brasileiro, tendo em vista a queda expressiva na produção da Tailândia. A previsão de maior produção indiana, entretanto, deve ser um ponto de atenção. No país, ainda não se sabe a capacidade de exportação devido ao “lockdown” adotado para conter o novo coronavírus, disse Vicchiato.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro