Cocheira

Caravana do conhecimento

Caravana do conhecimento

Divulgação

A multinacional francesa Merial Saúde Animal, que pertence ao grupo Sanofi, iniciou no mês passado o projeto “Merial nasUniversidades”.  A ideia da empresa é visitar 20 instituições de ensino, em 14 cidades de seis Estados. Cerca de cinco mil estudantes do quinto ano de medicina veterinária receberão aulas sobre práticas da profissão, envolvendo animais como bovinos de corte e leite, suínos, aves e pets. O início do projeto foi no dia 11 de abril, na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (foto acima), em São Paulo.

Café
A cátedra do grão

A Università del Caffè Brazil, uma iniciativa da torrefadora italiana Illycaffè, abriu as inscrições para 11 cursos à distância, voltados ao cultivo do grão e à gestão de processos. Os cursos têm a duração de dois meses e as aulas acontecem via internet, por meio de videoaulas gravadas. O mais extenso, com 40 horas, é sobre gestão de agronegócio. Os demais, entre eles adequação ambiental, custo de produção e governança, por exemplo, são compostos por 10 horas de aulas.

Especialização
Marketing na cabeça

O Instituto de Educação no Agronegócio (I-UMA), de Porto Alegre, abriu as inscrições para o curso de especialização em marketing do agronegócio. A duração é de três semestres, com 372 horas de aulas. A programação conta com um vasto leque de temas, entre eles comércio, finanças, tecnologia da informação, exportação agroindustrial, comunicação, estratégia

Caixa forte
As contas do Rabobank

O Rabobank Brasil, subsidiária da cooperativa financeira holandesa Rabobank, contratou no mês passado o executivo Mauricio Oreng, ex-Itaú BBA e Unibanco, para ser o novo economista-chefe da instituição no País. O executivo, que é administrador de empresas e mestre em economia pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, passou a responder pelas projeções e análises da conjuntura macroeconômica e dos mercados de renda fixa e de câmbio. e arquitetura de negociação.

Confesso que vivi
por marco aurélio Rangel

Há dez meses, o engenheiro mecânico Marco Aurélio Rangel, 45 anos, tornou-se o presidente da FTP Industrial na América Latina, empresa do grupo italiano Fiat, dono das marcas Case e New Holland. Rangel conhece muito bem o setor de máquinas, onde atua há 24 anos. Para a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP), feira que ocorreu no final do mês passado, ele montou pela primeira vez um estande só para a FTP, onde os produtores conheceram os mais potentes motores de colhedeiras e tratores.

Qual o grande acontecimento de sua carreira?
Por incrível que possa parecer, não foi assumir altos cargas, mas estagiar pela primeira vez. Eu sonhava com processos de engenharia de motores a diesel.  No entanto, depois de três meses, fui chamado para a equipe de marketing.

Por quê?
Eu sempre gostei de aprender e isso chamou a atenção dos gestores.

Qual o impacto dessa mudança de rota na carreira?
A primeira dificuldade foi explicar aos meus pais que eu não atuaria na engenharia, diretamente. Assim, eu passei por todas as variantes da profissão, do marketing de serviço, ao de desenvolvimento e indústria. Lidar com o usuário de um produto que você fabrica é uma escola na alegria e na tristeza. Em 2000, me tornei o diretor mundial de estratégia agrícola da empresa Cummins, nos Estados Unidos. Foi ela que me deu visibilidade para estar na FTP.