Finanças

Agrofinanças

A certificação vai ao campo

A formação de preços dos contratos futuros de arroz, milho, boi gordo e bezerro negociados na BM&FBovespa ganha selo de qualidade

O mercado financeiro, principalmente no que diz respeito às operações de mercado futuro, ainda é um habitat estranho para o agronegócio. As oscilações dos contratos futuros agropecuários e a complexidade desses instrumentos financeiros, destinados a reduzir os riscos, afastam os produtores. No entanto, pelo menos um aspecto dessa estrutura está mais garantido: o cálculo dos preços no mercado à vista – que servem de parâmetro para os contratos futuros. Em maio, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) recebeu uma certificação ISO 9001 para processo de coleta de preços para quatro indicadores: boi gordo, cotado em São Paulo; milho, cotado em Campinas (SP); bezerro em Mato Grosso do Sul; e arroz branco do tipo 1 em casca, no Rio Grande do Sul.

Reconhecimento: Geraldo Barros (à esq.) e Ivan Wedekin afirmam que o selo traz garantias ao mercado

Segundo Geraldo Barros, professor titular da Esalq/USP e coordenador-geral do Cepea, a certificação traz mais credibilidade às informações e análises da instituição.”Os agentes de mercado e produtores, que historicamente têm confiado no Cepea para tomar decisões tanto de curtíssimo quanto de longo prazo, têm agora uma razão ainda mais forte para continuar confiando nas informações desse centro”, diz Barros.

Ivan Wedekin, diretor de commodities da BM&F Bovespa, diz que o ajuste dos processos de coleta e divulgação dos indicadores às normas da ISO 9001/2008 começou em 2009. O trabalho contou com a consultoria da empresa Lannes & Hoffmann, de São Paulo, com a certificação concedida pela empresa ABS Quality Evaluations.

A certificação comprova que os indicadores de preços são elaborados estritamente de acordo com suas metodologias. Elas envolvem várias fases. Observam o contrato do convênio entre as entidades responsáveis pelos indicadores – Cepea/ Esalq e BM&FBovespa -, avaliam a infraestrutura do ambiente e da tecnologia, passam por todos os aspectos operacionais das equipes dos respectivos indicadores, examinam os procedimentos administrativos, de comunicação e de tecnologia da informação que integram o processo e, finalmente, chegam à divulgação para o mercado.

O registro detalhado das ações em documentos permite a um auditor, de qualquer empresa certificadora, conferir todas as etapas seguidas pelas equipes do Cepea até os resultados transmitidos à BM&FBovespa ao final de cada dia. Segundo Wedekin, em breve, as cotações da soja e do etanol hidratado também receberão essa certificação. Há 17 anos a BM&FBovespa e o Cepea mantêm parcerias na construção de indicadores de preços agropecuários.