Negócios

Os 100 nomes mais influentes do agronegócio – Consultorias

Sérgio De Zen


Referência nacional no acompanhamento econômico de 18 mercados agrícolas, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq/USP), de Piracicaba,no interior paulista, também tem entre os serviços prestados as consultorias especiais. Sérgio De Zen, que há 21 anos coordena o “Indicador do boi gordo Esalq/BM&FBovespa” está entre as estrelas desse time. Neste ano, por exemplo, De Zen começou a apresentar os primeiros resultados de uma pesquisa inédita encomendada pela ABCZ, para medir  o impacto econômico do emprego de genética melhoradora no rebanho nacional.

José Luiz Tejon Megido


José Luiz Tejon Megido é jornalista, publicitário, professor, palestrante e autor de mais de 30 livros. Além de transitar entre as produções culturais, o desenvolvimento pessoal e profissional, e as áreas de venda e marketing, Tejon Mejido tem acesso livre ao agronegócio. Entre suas credenciais figuram o fato de ser um dos fundadores da Associação Brasileira de Marketing Rural & Agronegócio, coordenar o Núcleo de Estudos de Agronegócio da ESPM, em São Paulo, e ser um dos diretores do Conselho Científico para a Agricultura Sustentável, entre outros postos.

Maurício Palma Nogueira


No comando da área de pecuária da Agroconsult, sediada em Florianópolis, o engenheiro agrônomo Maurício Palma Nogueira, se tornou um dos analistas mais conceituados no País por sua participação no desenvolvimento da  maior expedição técnica privada do Brasil, o Rally da Pecuária. Iniciado em 2004, o projeto voltou de cara e metodologia novas, em 2011, a com ajuda de Nogueira. O consultor costuma passar os meses de abril, maio e junho fora de casa, para checar in loco as condições da produção pecuária nacional.


Plínio Nastari, presidente da consultoria Datagro

“O Brasil tem a oportunidade de reestruturar o seu modelo de desenvolvimento com um novo projeto calcado em atividades ligadas ao uso sustentável de seus recursos naturais. Em tempo de ajuste e dificuldades geradas pelo avanço desmesurado do setor público sobre o privado, a agropecuária representa, novamente, a âncora que sustenta a atividade produtiva, o equilíbrio da balança comercial e a preservação do emprego.

O País precisa se posicionar como o campeão mundial da produção sustentável de alimentos e de energia de biomassa, buscando o justo reconhecimento por avanços conquistados de forma silenciosa e despretensiosa. Há muita tecnologia e conhecimento por trás do que é hoje realizado na agropecuária. Mas, ainda, podemos agregar mais valor, e avançar na transformação de bens primários em produtos processados, valorizando o papel de cada elo da cadeia de produção e comercialização.”