Negócios

Os 100 nomes mais influentes do agronegócio – Governo

Eduardo Corrêa Riedel

Pecuarista e agricultor, Eduardo Corrêa Riedel afastou-se da presidência da Federação da Agricultura do Mato Grosso do Sul (Famasul), no início deste ano, para  assumir a o posto de Secretário de Governo e Gestão Estratégica do Estado, a convite do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). À frente da pasta,  Riedel, admirado por sua capacidade de articulação, tem atuado intensamente na mediação dos conflitos fundiários entre índios e produtores rurais, que envolvem mais de 100 fazendas em litígio no MS. Graduado em Ciências Biológicas, com mestrado em Zootecnia, atualmente está licenciado de sua empresa, a Sapé Agropastoril.

Kátia Abreu


Senadora pelo PMDB do Estado do Tocantins, a pecuarista e psicóloga goiana Kátia Regina Abreu, licenciou-se do mandato para assumir o comando do ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Ex-presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Kátia disse a que veio já nos primeiros meses à frente do Mapa,  ao conseguir manter incólume, em pleno ajuste fiscal, o Plano de Safra 2015/16, que prevê investimentos de R$ 187,7 bilhões para o custeio da produção.

Marcos Montes


Eleito pelo PSD de Minas Gerais para um terceiro mandato, o deputado federal Marcos Montes, é o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária. Um dos lobbies mais poderosos do Congresso Nacional, a Frente conta com exército de 250 parlamentares de vários partidos. Formado em medicina, a principal missão  de Montes é discutir as propostas de Emenda à Constituição (PECs) 215 e 71, que tramitam na Câmara Federal e no Senado, respectivamente. Polêmicas, as iniciativas tratam de temas como a demarcação de terras indígenas e a indenização de propriedades legalmente ocupadas a serem demarcadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

José Paulo Dornelles Cairoli


O gaúcho José Paulo Dornelles Cairoli é o que se poderia chamar de um  híbrido nos meios empresariais e políticos. Executivo do grupo Ipiranga, com experiência de mais de 30 anos em administração de empresas, é também proprietário da Reconquista Agropecuária, onde faz agricultura e cria gado angus. Atual vice-governador do Rio Grande do Sul, já esteve à frente de entidades  importantes como a Associação Brasileira de Angus (ABA).

Carlos Fávaro, vice-governador do Estado de Mato Grosso e produtor rural em Lucas do Rio Verde (MT)

“A grande vocação do Brasil é produzir, de forma sustentável, cada vez mais alimentos. Nossos produtores são obstinados, focados e superam as dificuldades com muita habilidade. A agropecuária é, sem dúvida, destaque na economia nacional, respondendo por 21,3% do Produto Interno Bruto e por 43% do total exportado pelo País.

Entretanto, em razão da precária situação da infraestrutura logística, a agropecuária encontra entraves à sua expansão. O grande desafio é termos uma infraestrutura logística eficiente para que o Brasil possa seguir seu caminho de aptidão como o grande celeiro da produção agropecuária.”