Tecnologia

A telefonia invade o campo

Chegada de novos equipamentos móveis facilita a vida dos agricultores, otimiza a produção agrícola e traz lucros expressivos

FÁBIO CALEGARI: telefonia no campo vem com a missão de melhorar os resultados

Depois das enxadas, dos facões, dos tratores e das colheitadeiras, um novo instrumento de trabalho promete revolucionar a agricultura no Brasil nos próximos anos. Cada vez mais populares, os telefones celulares agora vêm sendo utilizados também para otimizar a produção agrícola, permitindo que os supervisores acompanhem em tempo real a movimentação de suas máquinas, diminuindo o tempo ocioso, aumentando a produtividade e, principalmente, gerando grande economia.

Neste primeiro estágio, os celulares vêm sendo usados principalmente no cultivo da cana-de-açúcar, atendendo às vastas plantações das usinas de álcool e açúcar, mas podem se adequar perfeitamente a qualquer outra cultura de grande porte. Até o momento, os resultados são muito satisfatórios. Contando com o sistema há pouco mais de um ano, o Grupo Equipav, que fatura R$ 800 milhões em suas usinas no Estado de São Paulo, comemora os resultados de sua primeira safra 100% rastreada.

“Com a transmissão de dados é possível acompanhar toda a produção à distância“

SÉRGIO CALIANE, gerente de TI do Grupo Equip

“Eu quase caí de costas quando soube dos resultados. Chegamos a um ganho de eficiência de R$ 1 milhão. O sistema é muito bom e os resultados superaram todas as expectativas. Nós esperávamos bons resultados, mas foi muito melhor do que o esperado”, explica, eufórico, Sérgio Henrique Caliane, gerente de TI da Equipav, lembrando que o custo de implementação do sistema foi relativamente baixo, cerca de R$ 100 mil. O executivo ressalta ainda o baixo custo de operação. Hoje a empresa conta com cerca de 450 celulares trabalhando em uma área de 100 mil hectares, que custam em torno de R$ 90 por aparelho/mês, entre assinatura, ligações e transmissões de dados. De posse dos resultados da primeira safra, a empresa garante que aumentará mais o número de celulares em 2008, de olho em lucros ainda maiores.

AUMENTO DE R$ 1 MILHÃO foi possível graças a um investimento de R$ 100 mil em tecnologia de ponta

Responsável pela implementação do sistema, a e- Logicon desenvolve equipamentos que eliminam a necessidade de treinamentos complexos e por isso faz tanto sucesso no campo. Por meio de boletins on board, uma usina consegue controlar em tempo real, via internet, toda a operação de suas máquinas a partir das informações enviadas automaticamente pelo celular. Ao iniciar o turno, os operadores apenas abrem o sistema no celular e informam que atividade irão realizar, local e horário de início. Ao fim da atividade, informam ao sistema que ela foi concluída.

Depois, os dados são recebidos, processados em um servidor e repassados para o sistema, onde as informações são visualizadas em um painel de controle. Tudo em tempo real. Dessa forma, os responsáveis pelo gerenciamento das operações sabem exatamente o que está acontecendo em todos os pontos da fazenda, mesmo não estando lá.

“O custo de implantação também é relativamente baixo e o retorno do investimento acontece em poucos meses”, diz Fábio Calegari, diretor comercial da e-Logicon. Com toda a informação à distância de um clique, é possível que alguns empresários passem a comandar seus negócios à distância, e, para isso, um radio-comunicador também é fundamental. Especializada no mercado corporativo, a Nextel aparece como uma ferramenta a mais na vida dos produtores. Além de funcionar como um telefone celular convencional, os aparelhos habilitados pela operadora também podem fazer conexões diretas, tanto nacionais quanto internacionais, a um custo fixo.

No caso da conexão internacional, o custo é de R$ 29 e permite que o usuário comande seus negócios a partir de países como Argentina, Chile, Peru, México, Estados Unidos e Canadá. A cobertura nacional é restrita aos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Isso possibilita, por exemplo, que um produtor em qualquer um desses Estados ou países, acompanhe o andamento de seus negócios em tempo real e cobre providências. Sinais dos tempos.