Cocheira

A vaca de R$ 3 milhões

Adquirido em leilão, animal bate recorde de preço no nelore

Vaca nelore de R$ 3,456 milhões

Comprada por um condomínio formado por Maurício Odebrecht (EAO Empreendimentos), Pedro Novis (Fazenda Guadalupe) e Jaime Pinheiro (Vila dos Pinheiros) por R$ 3,456 milhões, Maharash II se tornou a vaca mais cara do nelore e O TE J.Galera, vendido por R$ 792 mil, o bezerro mais cotado da raça. Os recordes aconteceram durante a I etapa do leilão de liquidação da Agropecuária J.Galera, em 26/7, em Pontalinda (SP). O pregão movimentou R$ 27,803 milhões na venda de 99 lotes de produtos que representam 20 anos de seleção do criador Heldert Galera, falecido em 2009.

 

Citricultura

Inversão de papéis

Nos últimos anos, a Associação Brasileira dos Citricultores (Associtrus) cobrou a formação de um Consecitrus – conselho que objetiva construir um sistema de referenciamento de preços para a caixa da laranja. As indústrias processadoras não deram atenção. Hoje, os papéis se inverteram e, enquanto a indústria faz força para que o conselho saia do papel, a Associtrus emperra as negociações, irritando o secretário de Agricultura de São Paulo, João Sampaio, mediador das conversas. O problema é que os citricultores não querem deixar divergências passadas para trás, o que pode prejudicar a construção do acordo.

 

 

 

Investimento

O vinho do Galvão

O narrador esportivo Galvão Bueno está disposto a estreitar suas relações com o agronegócio. Ele, que já mantém uma importante criação de cavalos quarto-demilha no Estado do Paraná, se prepara para entrar de vez no mundo dos vinhos. Depois de lançar, em parceria com a Miolo, um rótulo da tradicional bebida e de um espumante, ambos levando o seu nome, Galvão estuda iniciar uma produção própria de vinhos finos. Corre nos bastidores do mercado imobiliário gaúcho que o global negocia a compra de uma propriedade de 800 hectares localizada no extremo Sul do País, cujo valor do hectare está estimado em R$ 12 mil.

 

 

 

 

Eleições I

Não convenceram

Os produtores que estiveram presentes ao 9º Congresso Brasileiro de Agrobusiness, promovido pela Abag, de Carlo Lovatelli, ficaram insatisfeitos com a participação dos presidenciáveis, que responderam a perguntas em vídeos. Dilma Rousseff claramente lia as respostas, enquanto José Serra e Marina Silva se esquivaram dos temas importantes.

Eleições II

Tucano dá o cano

A campanha de José Serra parece fazer pouco-caso do campo. O candidato desmarcou um jantar em que estariam presentes 20 grandes empresas do agronegócio, cujo faturamento somado ultrapassa US$ 30 bilhões. Essa é a segunda vez que ele dá o cano nos empresários.

 

Exportação

Campolina no México

Diretor de Contratos da Odebrecht no México, o baiano Fernando Martins está prestes a fundar uma associação para promoção do cavalo campolina naquele país. Em agosto ele embarcou nove exemplares da raça, mineira de nascimento e a preferida de executivos por seu andamento cômodo.