Cocheira

Está para nascer mais uma gigante do agronegócio.

Falta pouco para a Agrícola Rio Galhão, do empresário Sérgio Bueno, fundir operações com a Agropecuária Jacarezinho, de Alexandre e Pedro Grendene.

Sérgio Bueno: mexendo os pauzinhos para articular a fusão

Negócios

 

Dupla boa de braço

Em negociação há mais de três meses, a nova empresa entrará no ranking das top 10 do setor no País, com mais de 40 mil hectares de lavouras e 100 mil cabeças de gado.

 

Marketing

Matuto fora de moda

Idealizada para mostrar um novo Brasil rural, a campanha “Sou Agro” dá sinais de problemas. A opção por atores como Lima Duarte, cujos personagens, a exemplo do Sassá Mutema, da novela O salvador da pátria, remetem à figura do matuto interiorano, não agradaram aos setores mais profissionalizados do agronegócio. Em reunião recente, o presidente da Unica, Marcos Jank, segundo algumas fontes do setor, saiu irritado com os rumos da campanha.

Bioenergia

Imagem fosca

A intenção de sobretaxar o açúcar para conter os preços do etanol arranhou a imagem da presidente Dilma Roussef entre empresários do setor. Embora tenha passado pelo Ministério de Minas e Energia durante o governo Lula, os empresários criticam sua pouca familiaridade com as nuances do setor. Daí para a adoção de medidas inadequadas é um pulo.

Internacional

O fiasco de los hermanos

A Argentina não conseguirá fornecer à União Europeia (UE) as 28 mil toneladas de carne bovina a que tem direito de exportar na Cota Hilton. Contribuíram para o fiasco as mudanças do governo daquele país no sistema de distribuição da cota entre os frigoríficos, a redução de abate e os altos preços da carne no mercado interno. O fato coloca o Mercosul em maus lençóis nas negociações com a UE.

Governo

Rouge e batom no agro paulista

Mônika Bergamaschi assumiu no dia 23 de maio a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Ela deixa a secretaria-geral da Associação Brasileira do Agronegócio de Ribeirão Preto para ser a primeira mulher à frente da pasta, que era ocupada pelo economista João Sampaio. Mônika é engenheira agrônoma, formada pela Unesp, e mestre em engenharia de produção agroindustrial, pela Universidade Federal de São Carlos.

Além da rede

A curtição de Zuckerberg

O desejo do criador do Facebook, Mark Zuckerberg, “é somente ingerir carnes de seres que tenham perdido a vida em suas mãos”, segundo o site da revista “Fortune”. O fato veio à tona via Facebook, é claro. Ele postou para os 847 amigos de sua página privada que havia matado um porco e uma cabra. O anúncio gerou reações de todo tipo: da fúria ao nojo. Zuckerberg afirma ter aprendido muito sobre criação sustentável. Além de galinha, cabra e porco, ele já abateu animais marinhos, como uma pobre lagosta. “As pessoas devem assumir suas responsabilidades e ser gratas pelo que comem, em vez de ignorar sua origem”, disse ele.

Nacional

Pisou na bola

O Brasil, por sua vez, também pisou na bola ao exportar apenas 10% das dez mil toneladas que lhe couberam na Cota Hilton 2009/2010. De acordo com a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne não há indícios de que a situação melhore, uma vez que não tem produção suficiente para atender aos seus compromissos.