Cocheira

O dono da terra

O dono da terra

Divulgação

Um dos temas mais polêmicos dos últimos anos, a venda de terras a estrangeiros, vem sendo colocado na mesa em vários encontros do setor. O mais recente, no qual estava o presidente interino Michel Temer, aconteceu em meados de julho com a Frente Parlamentar do Agronegócio, grupo criado em 2002 e que reúne cerca 60 deputados. Temer diz que vai trabalhar para facilitar a entrada de estrangeiros no País, o que até agora foi permitido, desde que houvesse no negócio um sócio brasileiro. O Ministro da Agricultura Blairo Maggi já se pronunciou: é a favor, desde que as regras sejam claras e que os estrangeiros não de dediquem a lavouras de safra anual, mas apenas às culturas perenes.

Crédito
Promessa cumprida

Desde que assumiu o Ministério da Agricultura e Pecuária, Blairo Maggi tem batido insistentemente em uma tecla: garantir crédito ao produtor rural. A depender do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a missão será cumprida. No mês passado, o banco anunciou que a previsão é aplicar R$ 17,4 bilhões nas 14 linhas de crédito da safra 2016/2017, iniciada no dia 1º de julho, valor 16% acima na safra passada. No ciclo 2015/2016 foram de R$ 15 bilhões. “Temos um compromisso com o produtor rural e ele será cumprido”, disse Maggi, durante o Global Agribusiness Forum, em São Paulo. “Se depender do nosso empenho, não vai faltar crédito no campo.”

Mercado islâmico
Sadia a toque de caixa

Desde que a BRF anunciou a criação de uma subsidiária para atender o mercado de produtos halal, consumidos por povos mulçumanos, as especulações sobre a abertura de capital da empresa (IPO, no jargão financeiro) em alguma bolsa mundial não param. A BRF não confirma a operação, mas fontes do mercado têm colocado como valor de mercado para a Sadia Halal o montante de US$ 5 bilhões, dos quais US$ 1,5 bilhão poderiam ser levantados de imediato com ações negociadas. O mercado de produtos certificados halal é gigantesco. No mundo, há 1,9 bilhão de muçulmanos em 112 países. O mercado global é estimado em US$ 2,1 trilhões, dos quais US$ 150 bilhões são com alimentos, de acordo com o Centro de Divulgação do Islam para a América Latina.

Investimento
A startup do café

A startup Cophenol foi a única brasileira, entre 23 projetos escolhidos de um grupo de 700, para integrar o programa  “French Tech Ticket”, criado pelo governo francês e destinado a estrangeiros. A bolsa de (EURO) 45 mil foi entregue à catarinense Mariana Bittencourt, doutoranda em economia ambiental na Universidade de Paris, que vem trabalhando com o físico e químico francês Emmanuel Thiéry.

Luto
Agro perde jornalistas

Em julho, o agronegócio perdeu dois jornalistas ligados ao setor. Ambos faleceram complicações de saúde. Paulo Roque, 65 anos, cobria a área desde a década de 1980. Entre os vários cargos que ocupou, foi editor da revista Panorama Rural, publicada pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). O gaúcho Danilo Ucha, 72 anos e apaixonado por vinhos e cordeiros, era colunista do gaúcho Jornal do Comércio e tinha mais de 50 anos de profissão.