Edição nº 172 03.09 Ver ediçõs anteriores

Entrevista

Dez Perguntas

Dez Perguntas


Edição 01/04/2009 - nº 54

“Temos uma história de sucesso no algodão, mas hoje a estratégia é outra. Queremos mostrar que a expertise do algodão implica o sucesso das demais culturas”

, novo presidente do Grupo Maeda, fala dos desafios à frente da companhia que ficou conhecida como a empresa de algodão mais verticalizada do mundo. Hoje, a área de soja da Maeda já supera a da pluma, o que obriga o grupo a fazer uma repaginação de sua imagem.

DINHEIRO RURAL – O sr. assumiu a presidência do Grupo Maeda com a missão de reestruturar a companhia…

FÁBIO MEDEIROS – A mudança está associada à profissionalização. É uma reestruturação do negócio. A Maeda tem uma história de sucesso no algodão, mas hoje a estratégia é outra.

RURAL – Nesta mudança de foco, a área de soja já superou a de algodão?

MEDEIROS – Sim. Na safra 2007/2008, a Maeda plantou 70 mil hectares. Hoje está com 100 mil hectares e o crescimento está associado à soja e ao milho. O algodão tem um papel importante, mas não cresceu na última safra por uma decisão consciente, um entendimento que a melhor forma de crescer é diversificar.

RURAL – Isso não é um problema pelo fato de a Maeda ter a imagem associada ao algodão?

MEDEIROS – A Maeda sempre plantou soja, mesmo por uma questão de rotação de culturas. A empresa quer manter a imagem de uma produtora de algodão de altíssima qualidade, mas não tem mais a aspiração de ser o maior produtor de algodão do Brasil. Queremos mostrar que a expertise agrícola no algodão implica o sucesso das demais culturas.

RURAL – Por que o grupo resolveu sair do ramo têxtil no ano passado?

MEDEIROS – A saída do segmento têxtil está associada ao entendimento de qual é a competência-chave da Maeda. Quando olhamos para o negócio, vemos a execução agrícola permeando todas os aspectos. Na fiação, estamos falando de um setor no qual as competências são diferentes.

RURAL – Qual seria a missão da Maeda hoje?

MEDEIROS – É consolidarse como um dos maiores operadores agrícolas do País, tomando a decisão em bases anuais de qual é o mix de cultura mais adequado para maximizar a rentabilidade de cada hectare.

RURAL – Como é a atuação no ramo imobiliário?

MEDEIROS – Nossa parceria com a BrasilAgro é focada em novas fronteiras. Olhamos para áreas novas, onde a terra precisa ser preparada. Durante esse processo, cria-se uma apreciação imobiliária. É um desenvolvimento que exige uma estrutura de capital e tem uma perspectiva de tempo maior.

RURAL – Já compraram alguma coisa?

MEDEIROS – Fizemos um investimento na Fazenda Jaborandi, na Bahia, que é uma área de 30 mil hectares, sendo 25 mil agricultáveis. É uma terra que já tem uma apreciação imobiliária: o hectare custa mais de R$ 7 mil.

RURAL – Vocês firmaram parceria com a Santelisa Vale e com a British Petroleum para a construção da usina Tropical. Neste momento de crise do setor sucroalcooleiro, como ficam as obras?

MEDEIROS – Este investimento conjunto não é uma onda de oportunidade. Hoje a Tropical é uma empresa operacional e deve atingir a capacidade de moagem da primeira fase, 2,5 milhões de toneladas, nesta safra. Continuamos com planos de expansão, mas eles estão sendo adaptados ao momento econômico.

RURAL – Seu objetivo à frente da Maeda é a abertura de capital?

MEDEIROS – O objetivo é qualificar a empresa para abrir capital. Estar qualificado é ter regras de governança estabelecidas e extremamente estruturadas. Se a gente olhar os benefícios que essa qualificação traz, a abertura é uma consequência, não o fim.

RURAL – O sr. assumiu a empresa num período de crise financeira mundial. Isso tem afetado o grupo?

MEDEIROS – A Maeda fez a lição de casa. O processo de reestruturação foi acelerado ao longo de 2008 e permitiu que a empresa chegasse a uma situação diferenciada para enfrentar esta crise.

Agropecuária é setor menos subsidiado e 54% da desoneração não vai a produtor

CNA

CNA

Agropecuária é setor menos subsidiado e 54% da desoneração não vai a produtor

Mapa

Ministério fiscalizará rastreabilidade de vegetais em 7 centrais de abastecimento

Opinião

Para Salles, postura de Bolsonaro tem de ser aplaudida na questão da Amazônia

Bunge anuncia acordo para compra de 30% da Agrofel Grãos e Insumos

Alimentos

Alimentos

Bunge anuncia acordo para compra de 30% da Agrofel Grãos e Insumos

Glifosato

Bayer pede anulação de veredicto que concede indenização de US$ 2 bi

Nexus Hub seleciona startups até 7 de outubro

Nexus Hub seleciona startups até 7 de outubro

Processo seletivo é gratuito e inclui workshop de modelo de negócios Canvas a todos os inscritos

Chilena lança uma solução de rastreamento do leite

Chilena lança uma solução de rastreamento do leite

Com o uso de internet das coisas e inteligência artificial, o sistema Vaca Conectada pode monitorar toda a cadeia produtiva da pecuária leiteira


Centro de inteligência e mercado em aquicultura reúne informações da área

Embrapa

Centro de inteligência e mercado em aquicultura reúne informações da área

BNDES prorroga prazo para renegociação de dívida do produtor e inclui fornecedor

Crédito

Crédito

BNDES prorroga prazo para renegociação de dívida do produtor e inclui fornecedor

A inovação da moeda no campo

Fintechs

Fintechs

A inovação da moeda no campo

As fintechs chegam ao agronegócio e revolucionam a forma com que trabalhadores rurais lidam com o dinheiro


Só na DINHEIRO RURAL


Só na DINHEIRO RURAL

ostreicultura

Interditado o cultivo de ostras e mexilhões na Ponta do Papagaio, em Palhoça


Dispositivo eletrônico não invasivo avalia conforto térmico de bovinos

Bem-estar animal

Dispositivo eletrônico não invasivo avalia conforto térmico de bovinos

Mapa abre consulta pública sobre boas práticas agropecuárias para concessão

Selo Arte

Mapa abre consulta pública sobre boas práticas agropecuárias para concessão


Evento destaca o etanol como grande protagonista do setor sucroenergético

Conferência Internacional Datagro

Evento destaca o etanol como grande protagonista do setor sucroenergético

 Oportunidades para o surgimento de startups no setor agropecuário

Hackathon da Embrapa

Oportunidades para o surgimento de startups no setor agropecuário

O que esperar da nova geração de produtores do agro?

Fabio Matuoka Mizumoto, Eugênio Spers e Ricardo Nicodemos

Fabio Matuoka Mizumoto, Eugênio Spers e Ricardo Nicodemos

O que esperar da nova geração de produtores do agro?

A agenda do clima

João Guilherme Ometto

A agenda do clima

“Não será tão simples descumprir o que acordamos com o nosso planeta”

X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.