Entrevista

Bojanic Helbingen Alan

Bojanic Helbingen Alan

O acesso à tecnologia moderna não é uma opção, é uma obrigação

Alécia Pontes
Edição 01/06/2014 - nº 115

Como inserir o pequeno produtor no mercado competitivo?

Com qualidade e produtividade. Isso tem a ver com extensão rural, com programas de capacitação para que melhores práticas sejam desenvolvidas com sustentabilidade. 

Como a sustentabilidade pode ajudar na agricultura familiar?

A produção sustentável é muito valorizada pelo consumidor. Com programas de denominação de origem a agricultura familiar pode se desenvolver mais e melhorar a rentabilidade. 

Como é possível profissionalizar o pequeno agricultor?

Além do apoio técnico no campo, há outro ponto importante pouco discutido. Nem sempre o pequeno produtor é um bom comercializador. Ele precisa do apoio de especialistas. 

As pequenas propriedades são compatíveis com a alta tecnologia?

Com certeza. O pequeno agricultor tem pelo menos um celular. Isso já é tecnologia moderna. Com o celular, ele pode saber das cotações. O acesso à tecnologia moderna não é uma opção, é uma obrigação.

As cooperativas tendem a ser a única saída para o pequeno produtor?

A cooperativa é a forma mais fácil para trabalhar. Mas existem outras, como criar associações de produtores que tenham interesse em comum, a exemplo da denominação de origem. 

O que é relevante quando se fala em política pública para os pequenos produtores?

São os programas de crédito, como o Pronaf. Eles são fundamentais, mas precisam ser programas de crédito orientados a alternativas rentáveis.

Além das linhas de crédito, que programas seriam ideais? 

Programa de incentivo à produção de subsistência é um deles. O desenvolvimento de novas lavouras, como o amaranto, por exemplo. São culturas difíceis de serem inseridas no mercado, mas são fundamentais para o autoconsumo. 

Qual é a melhor metodologia para separar o pequeno do médio produtor?

O pequeno é medido pelo uso da mão de obra. Já temos, inclusive, pequenos produtores de mil hectares. Se só trabalha a família, não importa o tamanho da área cultivada, ele é considerado
pequeno.

O que o mundo pode ensinar ao Brasil na agricultura familiar? 

O uso da tecnologia de irrigação. O pequeno produtor de Israel, por exemplo, já adotou sistemas de irrigação e culturas diferentes. No Egito, há muitas variedades de hortaliças, de baixo custo e alta rentabilidade, que ainda não existem no Brasil e poderiam dar certo aqui. 

O que o Brasil pode ensinar ao mundo?

O Brasil também tem muito a ensinar. O sistema de plantio direto é uma tecnologia que foi originada no País e que já foi exportada para a Argentina a Bolívia e o Paraguai. E ainda tem fronteiras para romper. 

 

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro

X

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.