Edição nº 170 20.06 Ver ediçõs anteriores

Entrevista

José Roberto Pires Weber

José Roberto Pires Weber

"O angus vai conquistar 50% do mercado de sêmen”

Fábio Moitinho
Edição 01/02/2015 - nº 122

O gaúcho José Roberto Pires Weber, criador de gado angus desde 1991, assumiu neste mês a presidência da Associação Brasileira da raça (ABA ), para o biênio 2015-2016. Weber, que foi vice-presidente nos últimos quatro anos, vai comandar a entidade pela terceira vez. A ABA possui 401 associados e tem sob sua guarda um dos principais projetos de carne de qualidade do País, o Programa Carne Angus Certificada.

Qual a meta de crescimento para a carne certificada, em 2015?
Aumentar o abate em até 20%, chegando a 400 mil animais. Em 2014, os abates somaram 330 mil reses, com carcaças pesando 240 quilos em média. Foi um bom desempenho.

O que deve ser feito para atingir a meta?
Continuar reivindicando junto aos frigoríficos uma maior bonificação para os animais. O produtor ganha entre 10% e 15% sobre o preço de mercado, mas podeia ser mais.

A certificação vai ao encontro do que é feito nas fazendas?
De certo modo sim, mas há resistência do pecuarista em entregar um animal com até 24 meses, ou quatro dentes, que é o padrão da ABA. Fui questionado se não poderíamos fazer como em outros projetos e afrouxar para seis dentes ou mais, o que significa animais acima de 30 meses.

Seria possível atender a esse anseio?
Acredito que a mudança de regra comprometeria o programa, pois o objetivo é vender carne de qualidade e de animais jovens.

Regras mais rígidas têm aumentado a disputa por animais para abate?
Atualmente, há disputa pelo angus para vários projetos de carne de qualidade. De certa forma, é um bom problema. Pela concorrência, no programa da ABA temos dificuldade para crescer mais rapidamente, mas para a raça, de modo geral, ela é excelente.

Isso atrai mais criadores para a raça?
A disputa sinaliza ao pecuarista que se ele aderir ao angus, mesmo não participando do programa da associação, a carne de seus animais vai ser mais bem remunerada. Isso é bom para o mercado de genética. 

O angus continuará a ser o maior vendedor de sêmen em 2014, repetindo o que ocorreu em 2013? 
Os dados oficiais saem em março, mas já posso dizer que no ano passado também vendemos mais sêmen do que qualquer outra raça no País. Em 2013, foram vendidos 3,4 milhões de doses, o que representa 44% do mercado. Neste ano, o angus vai conquistar 50% do mercado de sêmen.

Mas grande parte das doses ainda é importada…
Há duas questões. Quase todas as empresas que vendem sêmen são multinacionais, com muito material genético disponível. E nós não temos capacidade de produção própria para dar conta da atual demanda.

O que mais poderia ser feito para agregar valor à carne bovina?
Definitivamente, o consumidor quer saber de onde vem a carne que ele está adquirindo. Essa é uma exigência mundial, não há volta. Eu, por exemplo, rastreio meu rebanho há oito anos e o frigorífico Marfrig me paga R$ 100 por animal. 

Mas também há ônus em rastrear…
Certamente, mas para acessar mercados que pagam mais é preciso agregar valor com qualidade, garantindo procedência e sanidade. 

 

Tereza Cristina admite preocupação com embargos por queimadas na Amazônia

Mapa

Mapa

Tereza Cristina admite preocupação com embargos por queimadas na Amazônia

Fogo

Acre decreta estado de emergência por causa dos inúmeros incêndios nas florestas

Mídia externa

Macron, na França, se opõe a acordo Mercosul-UE por questão ambiental

Energia

Produtor de Santa Catarina deve fazer recadastramento para garantir tarifa rural

Pecuaristas fundam associação GPB, para maior representatividade

Entidade

Entidade

Pecuaristas fundam associação GPB, para maior representatividade

Glifosato

Bayer pede anulação de veredicto que concede indenização de US$ 2 bi

BNDES prorroga prazo para renegociação de dívida do produtor e inclui fornecedor

Crédito

Crédito

BNDES prorroga prazo para renegociação de dívida do produtor e inclui fornecedor

A inovação da moeda no campo

Fintechs

Fintechs

A inovação da moeda no campo

As fintechs chegam ao agronegócio e revolucionam a forma com que trabalhadores rurais lidam com o dinheiro


Programa  abre inscrições para jovens líderes do agronegócio brasileiro

NUFFIELD 2020

Programa abre inscrições para jovens líderes do agronegócio brasileiro

Cresce a procura por profissionais mais sêniores no agronegócio

Michael Page

Cresce a procura por profissionais mais sêniores no agronegócio

Consultoria aponta alta de 40% por executivos capazes de liderar grandes projetos


Só na DINHEIRO RURAL


Só na DINHEIRO RURAL

Inovações na Digital Agro ampliam produção

Digital Agro apresenta:

Digital Agro apresenta:

Inovações na Digital Agro ampliam produção



Grandes Feiras do Agronegócio


Grandes Feiras do Agronegócio


Compliance no agronegócio: a importância de incentivar boas práticas

Vitor Pedrozo

Compliance no agronegócio: a importância de incentivar boas práticas

“O agronegócio e a conservação ambiental  precisam andar juntos”

Marcelo Brito

“O agronegócio e a conservação ambiental precisam andar juntos”

“Otimismos à parte, não dá para ignorar os obstáculos do nosso setor”

X

Copyright © 2019 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.