Estilo no Campo

Com a crise do petróleo, o cantor Willie Nelson aposta no Biodiesel

Astro Country Willie Nelson se une a um grupo de Brasileiros e passa a investir em biocombustíveis

WILLIE NELSON: cantor conta com seu carisma para divulgar o BioWillie pelos Estados Unidos

Willie Nelson está de volta às estradas. Depois de estourar nas paradas norte-americanas com o sucesso On the road again, hit nos anos 80, o astro country agora aposta na produção de biodiesel. Nascido no Texas, o cantor sempre foi muito engajado em assuntos ligados aos produtores rurais, mas começou a se interessar pelo biodiesel apenas em 2004, quando sua esposa comprou uma caminhonete que podia ser abastecida com o combustível verde. Empolgado, fez inúmeras pesquisas sobre o biodiesel e viu nele uma ótima oportunidade de negócio, não só para si, mas também para a economia e os fazendeiros norte-americanos.

Menos de um ano depois, fundou a Willie Nelson Biodiesel Co. e passou a comercializar o Bio- Willie, um diesel composto com 20% de óleos extraídos da soja, até então pouco conhecidos por lá. Utilizando-se de seu carisma, divulgou o produto por todo o país e o tornou um sucesso absoluto entre os caminhoneiros, que hoje fazem fila em frente ao Willie’s Place, em Dallas, principal ponto-de-venda do combustível nos Estados Unidos.

“Não vejo necessidade de fazermos guerras por causa do petróleo. Temos um produto à altura aqui nos Estados Unidos. E o melhor: os fazendeiros locais podem produzi- lo”, diz Nelson, um dos maiores defensores dos produtores rurais norte-americanos. “O biodiesel pode mudar o futuro da humanidade”, continua o astro.

Por ora, o BioWillie ainda está disponível apenas na versão B-20, mas, em parceria com a Earth Biofuels, uma das mais conceituadas empresas de desenvolvimento de novas energias dos Estados Unidos, espera chegar ao B-100 em breve. Para isso, conta com o know-how de cientistas brasileiros, como Miguel Dabdoub, que montou um laboratório de última geração em Dallas, onde mantém uma equipe dedicada exclusivamente ao aperfeiçoamento do biodiesel.

“Os americanos nos procuraram por causa da enorme repercussão gerada por nossas pesquisas, que viabilizaram o uso do etanol para produção de biodiesel em escala industrial”, conta o químico Daniel Armelim Bortoleto, um dos brasileiros envolvidos no projeto. Segundo ele, a equipe agora se dedica em tempo integral às pesquisas com novos catalisadores e matérias-primas alternativas para a produção de biodiesel. “Mas também existem planos para a produção de etanol do milho”, revela.

Os executivos da Earth Biofuels não revelam quanto dinheiro já foi investido no projeto, mas admitem que a empresa vive sua melhor fase, devido, principalmente, à crise do petróleo nos Estados Unidos, que levou o produto a bater recorde histórico de preço no último mês. Por ter em sua fórmula 20% a menos do combustível fóssil, o Bio- Willie chega ao consumidor final com um preço mais baixo, razão pela qual vem conquistando muitos motoristas. O lado ecológico também pesa. De acordo com a empresa, as emissões de monóxido de carbono são 16% menores do que as do diesel convencional.

NEGÓCIO RENTÁVEL: com a crise do petróleo, muitos motoristas vêm aderindo ao uso do biodiesel

Fundador do Farm Aid, organização que auxilia os pequenos produtores rurais, Nelson não poderia deixar seus parceiros de lado neste projeto. Por isso, todo o combustível vendido pela empresa é produzido utilizando somente soja cultivada nos Estados Unidos. “Cada vez que alguém abastecer seu carro com BioWillie, estará ajudando um fazendeiro. Pense nisso”, completa o cantor.