Estilo no Campo

Criador em dose dupla

Projeto da Multigrain prevê a regularização de uma área de 120 mil hectares em meio ao Cerrado baiano

“Gasto 80% do meu tempo na agência, mas é aqui que trabalho com prazer”

Carlão da Publique, marqueteiro e pecuarista

Descontraído e falante, Carlos Alberto da Silva, ou simplesmente Carlão da Publique, como é conhecido, é uma das figuras mais carismáticas do agronegócio brasileiro. Jornalista por formação, ele comanda há 20 anos a Publique, uma das principais agências especializadas em comunicação e marketing do País, assessorando grandes empresários do mundo rural e desenvolvendo campanhas para multinacionais do porte da Bunge e Bayer. Mas agora, com a experiência adquirida junto aos seus clientes, decidiu estreitar ainda mais sua relação com o agronegócio. Para isso, comprou terras, arrematou lotes e mais lotes de gado gir e virou pecuarista. E dos bons.

Condições extremas: com 80 animais em apenas 11 hectares, criação exige organização e bom manejo

Com investimentos da ordem de R$ 1,5 milhão, Carlão comprou animais das melhores linhagens, equipou sua propriedade com o que há de mais moderno e fundou a Rio Vale Agronegócios. Com pouco mais de dois anos de atuação, já organizou diversos leilões, faturou prêmios em torneios leiteiros e vem sendo apontado pelos criadores como um dos grandes fomentadores da raça gir no Brasil. Tudo isso sem deixar sua agência de lado. “Minha entrada na pecuária se deu quase por acaso. Comprei os primeiros animais meio por brincadeira. Não tinha nem onde colocá- los”, lembra, aos risos.

Mas o problema logo foi resolvido. Com cinco vacas no plantel, era hora de arrumar uma propriedade e iniciar um negócio de verdade. Foi o que ele fez. Comprou um sítio de 11 hectares em Porangaba (SP), sua cidade natal, e levou os bichos para lá. Hoje Carlão conta com cerca de 80 animais PO no local, no que diz ser a “maior concentração de animais por hectare do mundo”. Na verdade, a atividade só é possível neste espaço reduzido por se tratar de uma área extremamente organizada e com um manejo de pastagem eficiente.

“Áreas reduzidas exigem muita organização. Não preciso de mais espaço. A ideia daqui para a frente é manter o número de animais e melhorar a qualidade”, revela o marqueteiro, que vem tendo grande destaque nos leilões. “No último, tivemos médias superiores a R$ 20 mil por animal, o que é um excelente número para a raça gir”, garante.

Mesmo despontando como um pecuarista promissor, Carlão nem cogita mudar de profissão. Para ele, criar gado é um hobby que vem rendendo alguns trocados, enquanto a Publique é seu ganha-pão. “Gasto 80% do meu tempo resolvendo coisas da agência. Não poderia ser diferente. Pelo menos aqui, neste novo negócio, eu tenho mais prazer do que dor de cabeça”, completa.