Estilo no Campo

O mercado de Seattle e o peixe voador

Extremamente limpo e cheio de funcionários bem-humorados, o Pike Place Fish Market é como todo mercado de peixe deveria ser

Imagine um mercado de peixe sem cheiro de peixe. Agora, adicione um chão impecavelmente limpo e paredes bem pintadas. Ao lado, algumas lojas que vendem lembrancinhas deste mercado aos visitantes de todo o mundo. Pois é, este lugar existe, e fica em Seattle, nos Estados Unidos. Um dos mercados de peixe mais famosos em todo o mundo, o Pike Place Fish Market é exatamente como todo mercado de peixe deveria ser: limpo, organizado, com uma grande variedade de produtos à venda e cheio de gente bem-humorada.

Os funcionários são um capítulo à parte neste mercado. Jovens, parecem estar brincando durante todo o tempo. E de fato estão. De acordo com uma pesquisa feita pela rede CNN, o Pike Place Fish Market é um dos três lugares mais divertidos para se trabalhar nos Estados Unidos. E é justamente isso que fez a fama deste lugar. Toda vez que algum cliente compra alguma coisa, os vendedores passam a cantar seus gritos de guerra e os peixes começam a voar. E não é brincadeira. No local existem até placas alertando os visitantes sobre os peixes voadores.

ALEGRIA, ALEGRIA: além dos caranguejos e peixes, visita vale pelo clima descontraído do lugar, tido como um dos melhores locais para trabalhar

Outra coisa que não passa despercebida no mercado é a presença dos caranguejos reais do Alasca. O crustáceo, que fez sua fama na série Pesca Mortal, está por todos os lados e custa cerca de US$ 18 a unidade. Mesmo com um preço salgado, são os campeões de venda. Para facilitar a vida dos turistas, o mercado oferece até embalagens especiais para transporte em avião e entrega direto no aeroporto, tudo para que o produto não sofra com as condições climáticas adversas. Transportados adequadamente, os caranguejos reais do Alasca suportam viagens de até 48 horas.

Fundado em 1930, o Pike Place Fish Market é um lugar arejado e com uma bela vista para o oceano Pacífico. Mas nem sempre foi famoso. Comprado por John Yokoyama, um ex-empacotador de peixes, em 1965, o local era totalmente desconhecido fora de Seattle. A virada veio no final dos anos 1980, quando o mercado passou por dificuldades e quase fechou. Yokoyama então contratou um consultor, não apenas para salvar seu negócio, mas para tornar o lugar mundialmente famoso.

Pouco tempo depois, Jim Bergquist, o consultor, teve a idéia de fazer gincanas entre os funcionários e os clientes para alavancar as vendas. Deu tão certo que até os empregados passaram a trabalhar mais alegres e, mais importante, os resultados melhoraram significativamente. “Queríamos de alguma forma ser famosos em todo o mundo. Decidimos que seria de uma forma irreverente, e logo isso se tornou realidade”, conta Yokoyama.

Pela nova filosofia adotada no Pike Place Fish Market, perdia-se o amigo mas não se perdia a piada. Prova disso é o Monkfish, um peixe de brinquedo que fica exposto junto aos outros peixes, mas que de vez em quando serve para dar sustos nos compradores. Outras vezes, um peixe de espuma também é arremessado em meio a algum grupo mais distraído. O riso é geral.

Hoje, o local é um dos principais pontos turísticos de Seattle e recebe mais de 40 mil visitantes todos os finais de semana. Em um giro rápido pelo mercado, o que se vê são pessoas das mais diferentes culturas – especialmente orientais – sempre com suas câmeras fotográficas em punho, clicando tudo ao redor. E não é pouca coisa. Além dos peixes, pode-se encontrar uma infinidade de comidas interessantes por lá, como carnes exóticas, lingüiças importadas, ervas medicinais, temperos especiais e até roupas e aventais customizados para presentear. Sem dúvida, um passeio imperdível.