O Campo em números

Integração que gera lucros

 GENÉRICOS
Americana estreia no Brasil

Com investimentos de US$ 300 milhões, a americana Albaugh lança neste mês de agosto sua subsidiária no Brasil. Com uma fábrica em Resende (RJ), capaz de produzir 64 mil toneladas de produtos por ano, entre fungicidas e herbicidas, a Albaugh Brasil tem planos de conquistar o agricultor brasileiro com sua linha de defensivos agrícolas genéricos, além de quintuplicar seu faturamento nos próximos cinco anos, chegando a US$ 500 milhões em 2021. Segundo o presidente da companhia no País, Renato Seraphim, sua estratégia está nos preços de seus produtos. “Queremos mostrar ao agricultor que é possível produzir mais e gastando pouco”, diz Seraphim.

CAFÉ
Mais oferta à indústria

No final do mês passado, o governo federal anunciou um leilão 67 mil sacas de café arábica de seus estoques públicos. A intenção foi melhorar a distribuição entre as indústrias torrefadoras do País. Apesar do avanço da colheita dessa variedade, até as últimas semanas de julho, o quadro geral era da falta do produto. A valorização da saca de 60 quilos do grão chegou a 20% em comparação a julho de 2015, segundo o Cepea.

CRÉDITO RURAL
Produtor utiliza 80%dos recursos

O Ministério da Agricultura contabilizou no mês passado a contratação de R$ 150 bilhões para o crédito rural na safra 2015/2016. O valor chegou a 80% do total de recursos programados para o Plano Agrícola e Pecuário (PAP). As aplicações foram referentes a custeio, comercialização e investimento.

CELULOSE
Eldorado nas alturas

A Eldorado Brasil, o braço da produção de celulose da holding J&F, fechou o segundo trimestre deste ano com um lucro líquido de R$ 414 milhões. A empresa bateu seu recorde histórico de vendas trimestrais, com um volume de 465 mil toneladas, 6% acima sobre o mesmo período em 2015. O período foi marcado por forte da demanda por celulose e pelo início da recuperação do preço da commodity no mercado internacional.

ARRECADAÇÃO

“Prefiro não me comprometer com previsões. em vez disso, prefiro tomar as medidas certas para o crescimento da economia, ser transparente e, claro, deixar que os resultados falem por si mesmos” Henrique Meirelles, ministro da Fazenda

CELULOSE
Eldorado nas alturas

A Eldorado Brasil, o braço da produção de celulose da holding J&F, fechou o segundo trimestre deste ano com um lucro líquido de R$ 414 milhões. A empresa bateu seu recorde histórico de vendas trimestrais, com um volume de 465 mil toneladas, 6% acima sobre o mesmo período em 2015. O período foi marcado por forte da demanda por celulose e pelo início da recuperação do preço da commodity no mercado internacional.

Agroquímicos
Nufarm prevê crescimento

A australiana do mercado de defensivos agrícolas Nufarm espera crescer em até 3% as suas vendas pela América Latina, chegando a cerca de US$ 577 milhões no ano fiscal de 2016. Segundo Marcos Gaio, presidente da companhia para a América Latina, o Brasil é o maior protagonista desse crescimento. “É o País que lidera as vendas da Nufarm na região e estimamos um crescimento de 8%”, diz Gaio. O otimismo do executivo está associado aos preços de soja e milho que favoreceu o produtor no País.


amplie a imagem aqui

AÇÚCAR
Clima ruim na Austrália

Com as chuvas que interromperam o início da safra de cana 2016/2017 na Austrália, há expectativa de que o encerramento da atual temporada seja postergado para novembro. Estima-se que o País deve produzir 5,08 milhões de toneladas de açúcar nessa temporada, crescimento de 5,9% sobre 2014/2015.

SUÍNO
Preços recuados

Após as altas de preços entre maio e junho, quando a cotação subiu mais de R$ 20,00 por arroba, o preço no mercado de suínos perdeu força em julho. A cotação, na média da primeira quinzena do mês, ficou em R$ 66,67 por arroba, 13,1% abaixo do registrado em igual período do mês anterior, revertendo parte dos ganhos que o suinocultor obteve no bimestre anterior.