O Campo em números

Mais emprego no campo

SYNGENTA
De papel passado

O Comitê sobre Investimento Estrangeiro dos Estados Unidos aprovou no mês passado a compra da empresa suíça de sementes e defensivos agrícolas Syngenta pela estatal química chinesa ChemChina (China National Chemical Corp) por US$ 43 bilhões. O governo americano poderia bloquear a transação porque o país é responsável por 25% dos negócios da empresa que está sendo adquirida. Com a decisão, os dois grupos empresariais esperam concluir o acordo até o fim deste ano.

SEGURO
Saldo reajustado

No mês passado, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) decidiu fazer uma realocação dos valores destinados ao pagamento de subvenção ao prêmio do seguro rural para a safra 2016/2017. Um total de R$ 48 milhões destinados às culturas de inverno passou para as culturas de verão. O valor equivale a 12% do total de R$ 400 milhões em recursos para o seguro.

CRÉDITO
Plano ABC perde recursos

No mês passado, o Mapa divulgou um balanço do desempenho do Programa de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono (Plano ABC) na safra 2015/2016. A queda na liberação de recursos chegou a 44,5% em relação à safra anterior. Foram R$ 2 bilhões, ante R$ 3,6 bilhões no ciclo 2014/2015. Criado em 2010 e alinhado à Política Nacional de Mudanças para o Clima, o Plano ABC serve a projetos de recuperação de pastagens degradadas, implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta e ao plantio direto.

CHINA
Cofco assume a Nidera

A Cofco Corporation, uma das maiores empresas de alimentos da China, anunciou em agosto a compra de 35% da trading holandesa Nidera e passou a ser a única dona da companhia. Os outros 65% já haviam sido comprados, no ano passado, da também asiática Noble. Com operações em 19 países, a Nidera faturou US$ 18,5 bilhões em 2015. Já a Cofco faturou US$ 16,9 bilhões.

PROPÓSITO

“A tecnologia que a indústria gera não é nada, se ela não for canalizada e levada ao campo para produzir alimento” Welles Pascoal, presidente da Dow AgroSciences Brasil

Cooperativa
Frísia mais produtiva

No mês passado, a cooperativa paranaense Frísia fez dois anúncios. O primeiro é a previsão de terminar 2016 com uma receita superior a R$ 2 bilhões. O fato é inédito, desde que a cooperativa foi fundada por holandeses no município de Carambeí, em 1925. O segundo anúncio foi a intenção expandir sua área cultivada em 50 mil hectares nos próximos dez anos. A maior parte do crescimento deve ocorrer na região do Matopiba. A cooperativa, que atualmente conta com 760 cooperados, cultiva 153 mil hectares de soja e milho.


amplie a imagem aqui

EUROPA
Menos açúcar

O clima úmido tem prejudicado a qualidade das lavouras de beterraba na União Europeia, na safra 2016/2017, destinadas à produção de açúcar. Com isso, o rendimento agrícola médio deve atingir 73,18 toneladas por hectare, ante 73,21 toneladas por hectare, estimado anteriormente.

PECUÁRIA
Bezerro mais barato

Após as fortes altas do preço do bezerro, que ocorrem desde 2013, o mercado está mais calmo em 2016. Considerando as cotações de São Paulo, do início do ano até meados de agosto, o preço do bezerro desmamado caiu 11,7%. No mesmo período, a arroba boi gordo subiu 2,7%. Com isso, o poder de compra do recriador saiu de patamares desfavoráveis no fim de 2015, para uma situação próxima da média histórica.