O Campo em números

O campo em números

Margem de lucro dos Arrozeiros

Os produtores de arroz da região Sul do Brasil estão enfrentando grandes dificuldades para compor suas margens de lucro. O problema, apontado pela Federação das Associações de Arrozeiros do Estado do Rio Grande do Sul (Federarroz), é o congelamento, há várias safras, do preço de garantia do governo federal. Segundo o vice presidente da entidade, Daire Coutinho, o Conselho Monetário Nacional aprovou, em junho, os preços mínimos para o arroz da safra 2013/2014, mas manteve congelados os valores do produto colhido no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. “Os produtores de arroz vêm sendo surpreendidos pelos aumentos de custos de insumos”, diz Coutinho. “É incompreensível rever os valores de alguns Estados apenas.”

Coutinho diz que esse aumento nos custos fez com que os principais países produtores revisassem seus preços de garantia ao produtor, restando ao Brasil o patamar mais baixo entre eles, com R$ 25,80 pela saca de 50 quilos. A China lidera, com R$ 44,04, seguida pela Tailândia, com R$ 42,92.

Plano ABC em alta

Os financiamentos realizados pelo Programa Agricultura de Baixa emissão de Carbono (ABC) chegaram a R$ 2,73 bilhões, de julho de 2012 a maio deste ano. Esse valor representa um incremento de 142% em comparação ao mesmo período da safra anterior, informou o Ministério da agricultura, Pecuária e abastecimento (Mapa).

Captação de crédito

Entre julho do ano passado e maio deste ano, o setor agropecuário brasileiro já contratou 92% dos recursos previstos para a safra 2012/2013, que correspondem a R$ 106 bilhões. Segundo o Ministério da agricultura, o valor é 30% mais alto que o contratado no mesmo período do ano passado. O Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor rural (Pronamp) se mantém como o principal instrumento de concessão de crédito rural em volume de financiamentos.

 

Recursos para a cana

No primeiro semestre, o setor sucroalcooleiro captou 237% mais recursos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) do que o registrado no mesmo período de 2012. Os desembolsos do Banco somaram R$ 1,3 Bilhão, montante superior ao R$ 1,2 Bilhão de todo o ano passado. dos recursos do Bndes, a metade foi concedida via prorenova.

BRF lucra alto

A Brasil Foods (BRF) registrou um lucro liquido de R$ 208,4 milhões, no segundo trimestre deste ano. O valor é muito superior aos R$ 6,4 milhões, obtidos no mesmo período do ano passado. Segundo a empresa, o resultado é atribuído ao melhor desempenho das exportações às operações no exterior. A receita líquida da BRF cresceu 10% na comparação com o mesmo período de 2012, para R$ 7,2 bilhões.

Zilor fica no prejuízo

O grupo paulista Zilor, acionista da Copersucar, registrou um prejuízo líquido de R$ 79,3 milhões, no ciclo 2012/2013, encerrado em 31 de março, ante lucro líquido de R$ 7,2 milhões obtidos no período anterior. Segundo a empresa, além de o ciclo atual ter três meses a menos do que o do ano passado, o resultado foi impactado pelo reforma dos canaviais, cujas receitas foram R$ 89,4 milhões inferiores à safra 2011/2012. A receita líquida do grupo paulista também diminuiu, passando de R$ 1,7 bilhão em 2012 para R$ 1,4 bilhão este ano.

 

Trading no azul

A produtora e exportadora de grãos Multigrain, com sede na capital paulista, registrou um lucro líquido de R$ 68 milhões em 2012. O resultado reverte o prejuízo líquido de R$ 48 milhões registrado em 2011. A Multigrain possui três fazendas no Brasil nos estados da Bahia, Minas Gerais e Maranhão, nas quais cultiva 116 mil hectares com soja, algodão e milho. Segundo a empresa, que é controlada pela japonesa mitsui, o resultado positivo se deve a uma receita 7,9% maior, de R$ 1,5 bilhão, e um custo das vendas 2,3% menor, de R$ 1,3 bilhão.

Recorde para o frango

No primeiro semestre deste ano, as exportações de frango do Brasil alcançaram o valor de US$ 3,8 bilhões, alta de 8,5% se comparado aos US$ 3,5 bilhões registrados no mesmo período do ano passado. Esse é o melhor resultado do setor na história, para os primeiros seis meses do ano. Já o volume embarcado foi menor, 1,8 milhão de toneladas, contra o 1,9 milhão de toneladas exportadas de janeiro a junho de 2012. Segundo Francisco Turra, presidente da União Brasileira da Avicultura, o resultado é reflexo de menores barreiras sanitárias contra o País.

Tecnologia do arroz

A empresa gaúcha RiceTec, que atua na produção de sementes híbridas de arroz, fará um investimento da ordem de R$ 20 milhões para instalar uma nova estação experimental, em Santa Maria (RS). a empresa, que já recebeu as licenças ambientais da Fundação estadual de proteção ambiental (Fepam) para iniciar as operações, deve inaugurar a nova estação em setembro. O faturamento anual da RiceTec é de R$ 50 milhões.

Entrevista

Jorge rubez, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Leite

Como o sr. avalia a medida que proíbe a compra de leite importado?

?Ela proíbe apenas a importação de leite em pó por meio de licitação pública. Não irá mudar muito para o produtor brasileiro, mas sim para as famílias carentes que recebiam um leite sem nenhuma qualidade.

Se não tinha qualidade, por que o Brasil importava??

Importava porque, quando a licitação era aberta, países como a Argentina e o Uruguai ofereciam o que custava menos para eles. O leite importado tinha um custo de R$ 0,40 por litro, enquanto os produtores brasileiros apresentavam algo como R$ 0,79.

A compra de leite no Exterior será muito afetada??

Acredito que a importação cairá, no máximo, 10%. O Brasil já compra menos leite do Exterior, pois a produção interna cresceu. Até junho, compramos lá fora US$ 123 milhões, contra os US$ 180 milhões de 2012.

 

Comentário do mês

O mercado brasileiro de milho ingressou em julho com um quadro baixista nas cotações. esse cenário, no médio prazo, tende a ser mantido. Fatores como o indicativo de uma safra americana dentro da normalidade, com produção estimada em 355 milhões de toneladas e de uma safrinha recorde no Brasil, de 45 milhões de toneladas, devem contribuir para manter os preços depreciados. na tentativa de reverter o quadro de baixos preços, o governo federal voltou a intervir no mercado, com a realização de leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (PEPRO). após fazer leilões de contratos de opção para mato grosso, envolvendo 1,77 milhão de toneladas, o governo federal lançou leilões de PEPRO – o primeiro foi realizado em julho. a resposta foi positiva, com demanda de 97,3% da oferta. resta saber como serão os demais.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro