Porteira Aberta

Porteira aberta

BUNGE ESTRÉIA NO ÁLCOOL

Depois de muito suspense, a Bunge finalmente entrou no setor sucroalcooleiro. A multinacional comprou a Agroindustrial Santa Juliana, usina do grupo alagoano Triunfo, do governador Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL), recéminaugurada no Triângulo Mineiro. O valor da negociação não foi divulgado, mas estima-se que só para a construção foram investidos R$ 164 milhões. Além disso, a empresa adquiriu uma área de viveiro de mudas de cana, onde está prevista a construção de uma segunda unidade. O primeiro investimento da multinacional no setor alcooleiro aconteceu no ano passado, quando ela criou uma trading para comercialização de açúcar.

PESCA

Brasil e Argentina juntos na OMC

Em prol da pesca, brasileiros e argentinos apelam à Organização Mundial do Comércio (OMC). O motivo é o direito de subsidiar o desenvolvimento de uma frota nacional de barcos. Brasil e Argentina defendem a subvenção para fomentar a pesca em países em desenvolvimento, já que as frotas dos países ricos foram formadas com base em subsídios. O pedido também inclui que a subvenção cubra os gastos com gasolina.

ALCACHOFRA

Colheita a todo vapor

Com a chegada da primavera, teve início a colheita da safra de alcachofras, flor imatura, da família das margaridas e girassóis, muito apreciada na alta gastronomia. No Brasil, o maior produtor de alcachofras é Piedade, no interior paulista. Estima-se que o município produzirá 3,6 milhões de quilos.

CARNE ARGENTINA

Estrangeiros no comando

Brasileiros e americanos estão, cada dia mais, marcando território na comercialização da carne bovina argentina. De acordo com o Consórcio de Exportação de Carnes da Argentina, os brasileiros juntos com Cargill e Tyson Foods já representam metade das exportações do país. E este número pode aumentar se o Marfrig, terceiro maior frigorífico do Brasil, confirmar a compra do Quick-food, maior da Argentina.

MEXILHÕES

Efeito maré vermelha

A alta concentração de algas, fenômeno conhecido como maré vermelha, complicou a vida dos produtores de mexilhão e marisco de Santa Catarina. Várias regiões estão embargadas há meses, o que está afetando a coleta do produto. A proibição é importante para resguardar a segurança alimentar, mas afeta a renda dos produtores.

FITOTERÁPICOS

Saúde das aves

O boom das exportações de frango, que somaram US$ 2,9 bilhões de janeiro a agosto, chamou a atenção das empresas veterinárias que fabricam produtos fitoterápicos e homeopáticos. A expectativa delas é aumentar em 20% as vendas para o segmento. Motivo: solicitação dos importadores para redução de resíduos de medicamentos.

TRIGO

Plantio em alta

Os preços recordes da commodity nos últimos meses animaram os produtores norteamericanos e europeus, que devem aumentar a área plantada. A informação é do Conselho Internacional de Grãos. Segundo o órgão, a produção mundial do trigo deve crescer 3,9%, passando para 614 milhões de toneladas em 2008.

PRÊMIO

Melhores da Terra

O prêmio Melhores da Terra das indústrias Gerdau premiou no final de agosto os vencedores em sua 25a edição e, de quebra, fez uma transição de comando. Frederico Gerdau Johannpeter deu lugar ao sobrinho Claudio Gerdau na coordenação do prêmio, que este ano teve 600 inscritos e fez os jurados percorrerem 70 mil quilômetros. O grande prêmio foi para o pulverizador Arrozeiro TARRAN 3000, que proporciona mais proteção ambiental.

CRISE POLÍTICA

Agricultura derruba premiê

Shinzo Abe (foto), primeiro-ministro do Japão, renunciou ao cargo. A decisão foi motivada por escândalos envolvendo ministros da Agricultura. O primeiro foi Toshikatsu Matsuoka, que se matou em maio, após ser acusado de receber propinas. O segundo foi Norihiko Akagi, destituído do cargo por desvio de verbas. O terceiro foi Tokoniko Endo que pediu demissão por causa de corrupção.

CAFÉ

Mais uma certificação

A partir deste mês, entra em vigor o Código Comum para a Comunidade Cafeeira (4C), desenvolvido pela Associação 4C, que engloba os maiores compradores mundiais de café: Nestlé, Melitta e Sara Lee. O objetivo do programa é a sustentabilidade da cadeia cafeeira, tanto na questão da preservação ambiental quanto nas dimensões econômicas e sociais.

VASSOURAS CAIPIRAS

Fonte de renda para assentados

Assentados do assentamento Timboré, em Andradina, interior de São Paulo, arranjaram uma ótima forma para aumentar a renda familiar. Eles estão fabricando vassouras caipiras a partir da palha seca de plantas cultivadas. Mensalmente, cada família consegue produzir 240 vassouras, sendo que cada uma é vendida por R$ 3,80.

EXPORTAÇÕES

Milho baiano

Pela primeira vez na história, a Bahia vai exportar milho. Produtores do oeste baiano, que nesta safra produziram 1,2 milhão de toneladas, fecharam contratos a termo para a entrega de 50 mil toneladas a US$ 10 a saca, em maio de 2008. A negociação é um feito para os agricultores, que até então só vendiam para a região Nordeste. A expectativa é que aumentem as linhas de finaciamento. Além disso, a novidade pode influenciar em um aumento da área plantada.

DEFENSIVO EM FOCO

Túlio Teixeira de Oliveira, diretor da Associação Brasileira dos Defensivos Genéricos, falou à DINHEIRO RURAL sobre desafios do setor. Confira:

1- Por que é tão burocrático registrar um defensivo no Brasil?

“Porque a Lei 7802 de 1989 foi escrita sob pressão de ambientalistas e o processo de registro passou a ser feito não só pelo Ministério da Agricultura, mas também pelos ministérios da Saúde e do Meio Ambiente. A publicação do Decreto 4074 em 2002 simplificou um pouco, já que o registro passou a ser pela equivalência química. Se o produto candidato a genérico provar que é quimicamente similar a outro existente no mercado, não precisa da realização de dossiês toxicológicos, ambientais ou agronômicos. Mesmo assim, o primeiro registro só foi expedido em 2005.”

2- Mas a economia com o genérico poderia chegar a quanto?

“Quanto mais versões há no mercado, menor o preço. O valor pode cair até o limite do seu custo fabril, com uma pequena margem de lucro.”

3- Há muito lobby das grandes empresas para impedir o registro?

“Sim, e por isso a baixa velocidade na aprovação. As 13 maiores empresas que atuam no Brasil dominam 94% do mercado e não querem um avanço de pequenas e médias.”

BIOCOMBUSTÍVEL

Superprodução pode atrapalhar o setor

O biodiesel, que tem como base oleaginosas como soja e girassol, é fonte de renda para 91 mil famílias de agricultores. Mas a produção brasileira já ultrapassou os 840 milhões de litros necessários para atingir a cota de 2% de adição ao óleo diesel, prevista para 2008. A superoferta pode resultar na quebra de empresas, já que as distribuidoras terão um grande poder de barganha, ainda mais se os 20 projetos de novas usinas forem aprovados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o que elevaria a produção para 3,1 bilhões de litros.

CANA-DE-AÇÚCAR

Agora, na região Norte

Clima e facilidade de escoamento da produção de álcool para outros países têm atraído empresas para a região Norte do Brasil. A paulista Biocapital é um exemplo. A companhia se instalou em Roraima por causa da alta produtividade da cana-de-açúcar que, segundo um dos seus executivos, é maior que a paulistana. O empreendimento é nas savanas amazônicas e o início da moagem está programado para 2009. Quem comemora a tendência é o governo, que em troca concede descontos no ICMS.

BIOMASSA

Palha de café

Mais uma fonte de renda para os cafeicultores. A palha do café está sendo transformada em pellets e exportada para uma usina termoelétrica holandesa. A meta é substituir o carvão mineral por fontes de energia limpa. As fazendas envolvidas são Ipanema Coffees, Monte Alegre, Passeio e Alfenas Café.

SUSTENTABILIDADE

Novo instituto

Diversas entidades do agronegócio, como a Confederação Nacional da Agricultura e a Asssociação Brasileira do Agribusiness, lançaram o Instituto para o Agronegócio Sustentável. A intenção é que a nova entidade trabalhe na resolução de pontos críticos socio-ambientais das cadeias produtivas.

PORTOS

Paranaguá bate recorde

O Porto de Paranaguá, no Paraná, movimentou 43 mil contêineres em abril, o que foi sua melhor marca desde a criação do Terminal de Contêineres de Paranaguá (TCP) há oito anos. Só para ter uma idéia, de janeiro a maio, passaram pelo local 196.867 contêineres, 11% a mais que o mesmo período de 2006.

COMÉRCIO EXTERIOR

Orgânicos em alta

A demanda por alimentos orgânicos está aquecida. Segundo dados do Projeto Organics Brasil, as exportações brasileiras com certificação internacional devem atingir US$ 36 milhões até o fim do ano, um aumento de 56,5% em relação a 2006.

HORTICULTURA

PROJETO MOBILIZA AGRICULTORES

Tomate, cebola, beterraba, cenoura e repolho. Produtos tão cotidianos na mesa dos brasileiros, eles custam em média 40% a mais na mesa dos acreanos. O motivo é a origem destas hortaliças, que são provenientes do Centro- Oeste do País. De olho nesta realidade, o Sebrae elaborou um projeto que envolve 100 agricultores. O objetivo é incentivar a produção de hortaliças no Estado e assim melhor o preço nas prateleiras do supermercado.

SUÍNOS

Estímulo ao consumo

Aumentar um quilo per capita do consumo de carne suína no Brasil é o foco da campanha da Associação dos Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs). Atualmente, a média do consumo brasileiro de carne de porco é de 12 quilos por pessoa/ ano. Para atingir o objetivo, a estratégia é trabalhar na apresentação dos produtos nos pontos-de-venda, sugerindo cortes mais práticos.

SÊMEN

Importação definida

Resolvido o impasse que impedia a importação de sêmen. O Ministério da Agricultura divulgou a Instrução Normativa (IN), que define os requisitos sanitários para a importação de sêmen bovino e bubalino de países fora do Mercosul.