Porteira Aberta

Porteira Aberta

UMA AJUDINHA AO TRIGO!

Como forma de diminuir a dependência externa do Brasil em relação ao trigo, o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, anunciou que a meta do Plano Nacional de Trigo é aumentar em 25% a produção na safra 2008/2009. Este crescimento vai garantir a produção de 4,75 milhões toneladas, o correspondente a 47% da demanda brasileira. Outra medida foi o reajuste de 20% no preço mínimo do trigo para o próximo ciclo. E a promessa da criação de uma Linha Especial de Crédito (LEC) para a comercialização, com taxas de juros de 6,75% ao ano e garantia de R$ 1,2 bilhão de crédito rural. O Ministério da Agricultura também tem feito estudos climáticos para os principais Estados produtores, inclusive para o trigo irrigado nas regiões Centro-Oeste e Sudeste.

SAFRA RECORDE

A mãozinha de São Pedro

São Pedro está dando uma bela ajuda para os produtores brasileiros. O clima favorável ajuda a corroborar a expectativa de uma safra recorde. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a nova projeção indica uma colheita de 144,77 mil toneladas de grãos, o que representará um avanço de 6,7%.

ECONOMIA

Fome no mídia

A agroinflação, inflação causada pela alta do preço das commodities, foi capa de duas revistas britânicas: The Economist e New Statesman. A primeira tratou o assunto como tsunami silencioso e colocou o problema no mesmo patamar da crise do crédito. Já a segunda culpa os biocombustíveis pela fome no mundo e diz que o Brasil tem responsabilidade. No entanto, como mostra a matéria de capa da edição 551 da ISTOÉ DINHEIRO, o Brasil não é o problema, é a solução.

FINANÇAS

De produtor a financiador

Conhecido por seu pioneirismo, primeira empresa do setor a abrir capital e se internacionalizar, o Friboi, maior frigorífico do mundo, acaba de se tornar também o primeiro do Brasil a ter uma instituição financeira. O Banco Central autorizou o pedido e o JBS Banco S.A. nasce com um aporte de R$ 30 milhões. O objetivo, segundo Joesley Batista, presidente do grupo, é “fidelizar fornecedores”. Além disso, a instituição vai trabalhar com hedge cambial. Na fila para abrir seu próprio banco, há empresas como Sadia e Randon.

AQUISIÇÕES

A tacada da Parmalat

Uma só marca e faturamento concentrado em um único produto. Esta não é mais a estratégia da Parmalat, controlada pelo Latin America Equity Partners (Laep). Há alguns meses, a companhia tem investido na compra de marcas regionais. A última aquisição foi do “negócio Poços de Caldas”, marca pertencente à francesa Danone, e do direito de uso da marca Paulista. Segundo Marcus Elias, presidente da Laep, a prioridade agora é o “mercado nordestino, que é o que mais cresce”. Por ora, na região a empresa conta com a marca Alimba.

AUTOMÓVEIS

Líder de cara nova

Há 13 anos no topo do ranking de vendas entre as pick-ups médias, a Chevrolet S10 está de cara nova. O novo modelo foi apresentado no final de abril e deve chegar às concessionárias de todo o Brasil na segunda quinzena de maio. De novidade, apenas as entradas de ar sobre o capô, as lanternas traseiras e o painel, agora na cor azul. Queridinha dos produtores rurais, a S10 registrou um crescimento de 19,8% em suas vendas em 2007.

BRIGA DAS PATENTES

A rapadura é nossa

A velha e boa rapadura tão peculiar das terras brasileiras foi registrada como marca pela alemã Rapunzel Naturkost AG. Agora a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) vai processar a empresa nos tribunais da Alemanha e dos EUA pelo registro da palavra rapadura como marca. Este não é o primeiro caso. Açaí e cupuaçu já foram depositados como marca por empresas estrangeiras.

EFEITO CLIMA

Seca na Austrália

Seis anos consecutivos de seca fizeram a produção australiana de arroz cair 98%. Nos últimos três meses, a baixa da oferta provocou o aumento do preço do cereal e levou os países produtores a restringir suas exportações. A situação causou pânico em países importadores, como Hong Kong e Filipinas, além de protestos no Egito e Haiti.

NELORE DO BRASIL

Com novo presidente

Opecuarista Vilemondes Garcia de Andrade Filho, 64 anos, acaba de assumir a presidência da Nelore do Brasil. Criador da raça desde 1987, hoje ele tem um plantel de 420 animais puro de origem. No setor, já foi diretor da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), fundou o Núcleo dos Criadores de Nelore de Avaré e foi presidente da Associação Paulista dos Criadores de Nelore.

NOVATOS

GP compra laticínios

A GP Investimentos está apostando na diversificação. Além de atuar no setor petrolífero, ser dona da rede de churrascarias Fogo de Chão e da BrMalls, uma das maiores empresas de shopping centers do Brasil, a gestora de recursos acaba de entrar para o agronegócio. A GP comprou por R$ 308 milhões o latícinio goiano Leitebom, conhecido por Morrinhos, cidade onde fica sua sede.

MONITORAMENTO

Queima de cana

Imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) evidenciam a redução de 5% na área de queima de cana-de-açúcar no Estado de São Paulo. O número equivale a 108 mil hectares. Já a área plantada cresceu 520 mil hectares da safra 2006/2007 para a 2007/2008.

MERCADO INTERNO

Mais carne no prato

Se o Produto Interno Bruto (PIB) crescer 4,5% este ano, o consumo interno de carne bovina deverá aumentar 1,60% este ano, chegando a 1,7% na região Norte, onde tende a crescer com mais intensidade. Segundo análise dos Ativos da Pecuária de Corte, divulgada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), este aumento do consumo de carne bovina no Brasil poderá chegar a 2% num quadro otimista de crescimento de 6% do PIB em 2008.

Safra americana

O relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) revelou que, pela intenção de plantio, a área de soja no país deve crescer, saindo de 25,7 milhões de hectares para 30,3 milhões. Já a de milho deve passar para 34,8 milhões de hectares, um recuo de 3,1 milhões. No entanto, analistas consideram a situação delicada por conta da baixa dos estoques das duas commodities.

BAYER BRASIL

Investimentos em dobro

Com faturamento de R$ 3,3 bilhões em 2007, a Bayer Brasil amplia sua participação nos negócios mundiais da empresa e já ocupa a 7ª posição no ranking interno do grupo. A Bayer CorpScience continua sendo o principal negócio no País, com vendas totais de R$ 1,4 bilhão em 2007. “Após dois anos difíceis, a agricultura brasileira mostrou condições mais favoráveis no último ano, o que contribuiu bastante para o resultado do Grupo”, declara o presidente da Bayer Brasil, Horstfried Laepple.

COMÉRCIO EXTERIOR

Reflexos do embargo

Os europeus estão sentindo o embargo que impuseram à carne brasileira. A União Européia fez um apelo à Organização Mundial do Comércio (OMC) para que o Brasil resolva a questão sanitária. Os supermercadistas devem estar sentindo falta do bom preço do produto brasileiro.

EXPORTAÇÕES

Soja em alta

As exportações brasileiras do complexo soja em 2008 devem atingir a casa dos 43,9 milhões de toneladas, segundo previsão da consultoria Safras & Mercado. Esta quantia é 14% superior à registrada no ano passado, quando o País embarcou 38,5 milhões de toneladas. Para a soja em grãos, estima-se que as exportações cheguem a 27,5 milhões de toneladas. Em farelo, a projeção é de 14,3 milhões de toneladas e, em óleo, de 2,1 milhões de toneladas.

BIOENERGIA

Alcoolduto

PMCC Projetos de Transporte de Álcool S.A. este é o nome da empresa criada por três pesos pesados: Petrobras, Mitsui&Co e Camargo Corrêa. A nova companhia trabalhará na execução do projeto de alcoolduto que ligará Senador Cadedo, em Goiás, a Paulínia, em São Paulo.

EXCLUSÃO

Mulheres agricultoras

Uma pesquisa feita na Universidade Federal de Pernambuco deixa em evidência a ausência de documentos por parte de agricultoras do sertão de Pernambuco. O estudo mostra que a situação dessas mulheres na zona rural é pior que nas grandes cidades.

LÁCTEOS

Resultado inusitado

Pela primeira vez em oito anos, o resultado da balança comercial no primeiro bimestre do ano foi positivo. Segundo levantamento da Scot Consultoria, as exportações de lácteos neste período somaram US$ 57,7 milhões, enquanto as importações registraram US$ 32,02 milhões, o que resultou em um saldo de US$ 25,7 milhões. O motivo do êxito é a forte demanda internacional.

ALARME FITOSSANITÁRIO

Frutas chilenas

OMinistério da Agricultura suspendeu desde o fim de março a importação de frutas do Chile, hospedeiras do ácaro Brevipalpus chilensis. Uva, kiwi, pêssego, nectarina, maçã e frutas cítricas estão proibidas de entrar no Brasil. A medida tem a finalidade de proteger a fruticultura brasileira até que nova análise de risco seja realizada para propor medidas que garantam a segurança necessária para evitar o risco de introdução da praga no País.

PESQUISAS

A nova floresta da Suzano

Conhecida por ter 100% de sua produção própria de eucalipto certificada pela FSC, a Suzano planeja novos investimentos. O aporte na formação de florestas será de R$ 170 milhões e na área de pesquisas mais R$ 11 milhões. A estratégia da empresa é aumentar a quantidade de celulose por hectare, por meio do desenvolvimento de clones de maior densidade. A Suzano deve plantar 42 mil hectares próprios

TRIBUTOS

Embarque de bovino vivo

A exportação de gado em pé muito comum em Estados como Pará e Rio Grande do Sul tem causado desconforto para a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo). A entidade pediu à Receita Federal que crie uma taxa para este tipo de exportação. Segundo a associação, a cadeia produtiva perde por deixar de processar sebo e couro e também pela queda da oferta de gado. Os pecuaristas são contra os tributos.

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS

Novamente em expansão!

APerdigão ampliará a unidade de Jataí, em Goiás, hoje com capacidade de abate de 70 mil aves/dia. Inicialmente, a capacidade subirá para 140 mil aves/dia e, a longo prazo, passará para 280 mil aves/dia. O investimento inicial é de R$ 165 milhões. Mas, nos próximos três anos, o aporte no Estado deve ultrapassar R$ 1 bilhão com a integração de aves e suínos das cidades de Mineiros, Jataí e Rio Verde.

MÁQUINAS AGRÍCOLAS

Produtor vai às compras

Gilberto Zago, vice-presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) para máquinas agrícolas, fala sobre as perspectivas de mercado no setor.

RURAL – Qual a expectativa da Anfavea para a venda de máquinas agrícolas neste ano?

ZAGO – Projetamos um crescimento em torno de 15%, com o total chegando a 44 mil unidades* no mercado interno e as exportações devem ficar no mesmo patamar de 2007, de 27 mil unidades.

RURAL – Muitos analistas estão vendo 2008 como o ano da recuperação da renda do produtor. Isso vai repercutir nas vendas?

ZAGO – A safra 2007/08 deverá ser um recorde de produção, superando 137 milhões de toneladas de grãos e o ponto forte é a alta dos preços das principais commodities agrícolas. Nota-se a continuação da recuperação dos preços, iniciada no ano passado, o que influencia a renovação e o aumento da frota de máquinas agrícolas.

RURAL – A Agrishow de 2004 foi recorde de vendas. Este ano o feito pode ser repetido?

ZAGO – O recorde de vendas de 2004 foi reflexo da boa colheita do ano-safra 2003/04. Naquele ano, foram produzidas 69.418 unidades, sendo 37.790 unidades para o mercado interno. Acreditamos que a recuperação desta safra trará ambiente de otimismo. Essa reação já ocorreu no Show Rural, em Cascavel (PR), e na Expodireto, em Não-me-Toque (RS).

RURAL – O fazendeiro deve renovar sua frota agrícola de quanto em quanto tempo?

ZAGO – A necessidade de renovação da frota tem prazos variados. Depende das características da cultura na qual as máquinas são utilizadas e do tempo de trabalho a cada ano, que varia conforme o tamanho da propriedade. Não se trata apenas do desgaste físico da máquina, mas também da necessidade de incorporação de novas tecnologias, que resultam em avanços nesse processo com sensível redução das perdas na colheita. A população ativa de máquinas agrícolas, segundo a Anfavea, remete-nos ao ano de 2005, com 336.500 tratores agrícolas e 43.400 colhedoras de cereais. O desejável seria uma frota com idade entre cinco e oito anos. Hoje, estimamos a idade média das máquinas agrícolas entre 10 e 14 anos.

 

*A contagem da Anfavea para máquinas agrícolas inclui tratores, colheitadeiras, cultivadores, retroescavadeiras e tratores de esteiras.

Picapes respondem por 12% dos recalls de 2019, aponta pesquisa
5 dicas para conservar (ou comprar) uma picape
As 10 picapes mais vendidas no Brasil em janeiro