Porteira Aberta

Brasil amplia área de trangênicos

Gado
Produção sustentável

Um recente estudo, realizado pela Embrapa em parceria com o Centro de Estudos do Agronegócio (GVAgro) e com a Embaixada Britânica, revelou que a agropecuária brasileira pode incrementar o Produto Interno Bruto (PIB) nacional em R$ 35 bilhões se adotar medidas sustentáveis. A pesquisa mostrou que, com 100% das pastagens usadas no sistema de integração com a lavoura e com aumento de 1,55 para 2,2 animais por hectare, o rebanho nacional de gado passaria de 200 milhões para 324 milhões de cabeças.

Ammagi
Investimento na Argentina

A Ammagi, uma das maiores companhias do agronegócio da América Latina, anunciou em abril investimentos de US$ 100 milhões na instalação de uma unidade portuária de granéis na Argentina. A empresa atua no país, há cinco anos, por meio de um escritório de originação de grãos na cidade de San Izidro. A instalação será feita em três etapas: a construção de um terminal portuário fluvial, a implantação de um sistema de descarga hidroviária e a construção de uma unidade de esmagamento.

BRF
Avanço no Oriente

A BRF, maior exportadora de frango do mundo, aumentou os seus domínios no Oriente Médio. A companhia passou a ser proprietária de 100% das ações da Al Khan Foodstuff, distribuidora de alimentos de Omã. A empresa já era dona de 40% das ações da distribuidora e comprou o restante por US$ 38,4 milhões em abril. A região é considerada estratégica para expansão da BRF, que já é proprietária da Federal Foods, em Abu Dhabi, e detém 75% da área de distribuição de alimentos congelados da Alyasra, do Kwait.

Vinhos
Um brinde ao Brasil

Depois de ter sido realizado na cidade de Mainz, na Alemanha, a próxima edição do Congresso Mundial do Vinho já tem endereço definido: o Brasil. O encontro da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) será realizado entre os dias 24 e 28 de outubro, em Bento Gonçalves (RS). A escolha não é por acaso. Bento Gonçalves fica no alto da Serra Gaúcha e é conhecida como a Capital Nacional do Vinho. O município é pioneiro no desenvolvimento do enoturismo, voltado para a apreciação da bebida e das tradições das localidades produtoras no Brasil. São esperadas para o evento 700 pessoas de 20 nacionalidades.

Sustentabilidade
A recuperação das terras paulistas

O Governo do Estado de São Paulo liberou R$ 6 milhões para produtores rurais recuperarem áreas degradadas por erosão. O limite por produtor foi ampliado em 50%, de R$ 10 mil para R$ 15 mil. Para ter acesso ao recurso, o produtor deve procurar a Casa da Agricultura de seu município. Desde 2014, já foram aplicadas 38 subvenções aos produtores paulistas, totalizando R$ 307 mil destinados à Recuperação de Áreas Degradadas por Grandes Erosões (Radge).

Soja
China adere ao Soja Plus

A China Soybean Industry Association (CSIA), organização governamental chinesa dos produtores de soja, acaba de botar um pé no Brasil. Os asiáticos se tornaram parceiros do Soja Plus, programa de melhorias na gestão rural, desenvolvido pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove). Com a parceria, os chineses reconhecem que a soja de Mato Grosso é sustentável. A China é o maior mercado consumidor de soja no mundo e importou 16,3 milhões de toneladas no primeiro trimestre do ano.

Moderfrota
Mais recursos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ampliou em R$ 300 milhões os recursos de financiamento do Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota).O valor total destinado ao programa no Plano Safra 2015/2016 passou para R$ 4,04 bilhões. Do total, R$ 3,4 bilhões podem ser solicitados por micro, pequenos e médios produtores rurais, com receita de até R$ 90 milhões por ano, com taxa de juros de 7,5% ao ano. Os R$ 640 milhões restantes, com taxa de juros de 9% ao ano, são destinados aos produtores rurais ou cooperativas com mais de R$ 90 milhões em faturamento.

O Chile quer mais
Um dos maiores exportadores de produtos agropecuários ao Brasil, o Chile participou da Apas, a maior feira do setor supermercadista nacional, por meio de seu escritório de comércio, entre os dias 5 e 10 de maio, em São Paulo. Oscar Paez Gamboa, diretor da entidade, conversou com a DINHEIRO RURAL.


Oscar Paez Gamboa diretor do ProChile

Como o senhor avalia a abertura do Brasil aos produtos chilenos?
Historicamente, o cobre sempre teve um protagonismo muito forte nas exportações do Chile para o Brasil. Ele sempre respondeu por mais de 50% do total embarcado. No ano passado, porém, as exportações de outros produtos superaram as de cobre e chegaram a US$ 1,6 bilhão, ou 54%. Isso é uma ótima notícia.

Quais são esses produtos?
Os produtos agropecuários responderam por 17% dos embarques de 2015. Isso, excluindo os vinhos, que representaram 7% das exportações ao Brasil. O Chile, aliás, já é o principal fornecedor de vinhos para o Brasil, com 37,2% do total do mercado. Somos os maiores em frutos secos, com 24,4%, o quinto fornecedor de azeite de oliva, com 5,2% do mercado, e o segundo fornecedor de frutas frescas, com 29,4% do mercado.

O Chile é famoso pelo salmão. Como é esse mercado no Brasil?
O Chile é o maior fornecedor de frutos do mar para o Brasil e responde por 42,5% do mercado brasileiro. Mais de 90% do que o Brasil importa do Chile neste segmento é salmão. De fato, o peixe ganhou o coração dos brasileiros. 

Como foi a participação na Apas?
O mercado brasileiro é gigante e uma feira como a Apas nos permite maior abrangência. O Chile já participa há cinco anos do evento, que é a única mostra brasileira de alimentos no calendário oficial do país. Queremos ainda mais espaço neste mercado.

Amazônia
Recurso para a Embrapa

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) repassará R$ 33,7 milhões para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) por meio do Fundo Amazônia, criado para captar doações para investimentos não reembolsáveis às ações contra o desmatamento. O recurso será destinado a projetos de pesquisa para recuperação, conservação e uso sustentável do bioma, desenvolvidos por 12 unidades da Embrapa, e que deverá ser aplicado em 30 meses.

Genômica
Neogen adquire Deoxi

A companhia americana Neogen Corporation anunciou no final de abril a aquisição da Deoxi Biotecnologia, laboratório com sede em Araçatuba, no interior paulista, especializado em genômica, ciência que estuda o DNA. A multinacional mantinha uma subsidiária, a Neogem do Brasil, mas enviava as análises para os Estados Unidos. Agora, contará com a estrutura da Deoxi para este fim.

Celulose
O recorde da Eldorado

A Eldorado Brasil, quinta maior produtora de celulose de fibra curta do mundo, atingiu no mês de abril a marca de cinco milhões de toneladas produzidas na fábrica em Três Lagoas, Mato Grosso do Sul. A unidade começou a operar em 2012 e tem capacidade para 1,7 milhão de toneladas anuais. “O desempenho está acima do previsto”, afirma Carlos Monteiro, diretor industrial da companhia.

OMC
Brasil parte para a briga

No mês passado, o Brasil abriu dois pedidos de consulta no sistema de solução de controvérsias da Organização Mundial de Comércio (OMC). O primeiro pedido questiona o subsídio da Tailândia à produção e comercialização de açúcar, que causa perdas estimadas em US$ 581 milhões por ano ao setor sucroalcooleiro brasileiro. O segundo trata das restrições da Indonésia às exportações brasileiras de carne bovina. O Brasil tenta, desde 2009, acessar esse mercado, cujas vendas poderão chegar a 30 mil toneladas de carne bovina por ano, mas tem acesso negado por medidas sanitárias. Nos dois casos, os países têm 30 dias para começar as consultas.