Porteira Aberta

Cacau meio amargo

Arroz
Doação para Faixa de Gaza

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) realizou mais um leilão de troca de arroz in natura por arroz beneficiado no final de janeiro. As 977 toneladas do produto negociadas seguirão para a Faixa de Gaza. A ação ocorre no âmbito da Cooperação Humanitária Internacional com o Programa Mundial de Alimentos (PMA). No Brasil, a coordenação é do Ministério das Relações Exteriores (MRE) e a sua execução cabe à Conab. Com a operação, a companhia ganha em agilidade, pois o arroz já chega pronto para a doação. Em contrapartida, a Conab dará 1,81 mil toneladas para os produtores que venceram o leilão.

Projeção
Safra nas alturas

A Agroconsult, uma das maiores consultorias de agronegócio do País, revisou os números da safra 2015/16 de soja e milho. Com base nas avaliações da equipe do Rally da Safra, que percorre os principais pólos produtores de grãos do Brasil, são esperados recordes históricos para a soja e para o milho. Acompanhe os principais dados da pesquisa:

Agronegócio
Em busca do mercado externo

No final de fevereiro, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, apresentou as metas do Ministério da Agricultura para 2016. Entre as prioridades, está a abertura de novos mercados. Segundo ela, a intenção é ampliar a participação do agronegócio brasileiro no comércio mundial de 7% para 10% até 2018. Outra meta é a conclusão da Lei Plurianual Agrícola (LPA). A nova legislação vai consolidar leis que regem o seguro rural, o Programa de Garantia de Preço Mínimo (PGPM), o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), o Fundo de Catástrofe e a lei agrícola. A ministra pretende enviar o texto da nova lei ao Congresso Nacional em meados de agosto deste ano.

Tributos
Vinho desonerado

O governo aproveitou a 31º Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), para anunciar a redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os vinhos de 10% para 6% em 2016 e para 5% a partir de 2017. No início do ano a presidente Dilma Roussef havia vetado decisão nesse sentido no Congresso. A redução deverá ser feita por meio de decreto. “O setor vai continuar mobilizado para  garantir as alíquotas que foram acordadas”, disse o diretor executivo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Carlos Paviani.

Cachaça
Ouro vencedor

A Cachaça Middas conquistou a medalha de ouro e troféu de destilado do ano no China Wine & Spirits Awards 2016, maior competição de vinhos e destilados daquele país. Produzida em Dracena, interior de São Paulo, a bebida fica armazenada por dois anos em tonel de madeira de amendoim do campo ou em barril de carvalho, na versão reserva. A Middas, cuja garrafa custa R$ 180, vem acompanhada de um frasco contendo flocos de ouro comestível de 23 quilates vindos da Alemanha.

Couro
Brasileiros conquistam Paris

Três curtumes brasileiros exibiram couros e peles Première Vision Leather Paris. “O evento gerou uma expectativa de vendas de cerca de US$ 1 milhão ao longo de 2016 para a Best Brasil, Nova Kaeru e Curtume Rusan”, diz José Fernando Bello, presidente executivo do CICB (Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil). A participação teve o apoio do Brazilian Leather, projeto de incentivo às exportações desenvolvido pelo CICB e pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). A próxima edição da Première Vision Leather de Paris ocorre em setembro.

Carne bovina
China no topo

Depois de quase três anos sem comprar carne bovina do Brasil, devido a um caso atípico de mal da vaca louca, registrado no Paraná, a China voltou com tudo. Em oito meses, o país asiático se tornou o principal cliente de carne bovina do País. De junho de 2015 a janeiro deste ano, as receitas com os embarques somaram US$ 517 milhões, o equivalente a 28% do total negociado. Foram enviadas 106,2 mil toneladas aos chineses. A explicação está na crise que afeta importantes compradores da carne bovina nacional, como Rússia e Venezuela. Essas nações reduziram as compras do produto brasileiro em 57% e 41%, respectivamente. O motivo é a queda no preço do petróleo.

Trigo
A meta é dobrar

O Sindicato da Indústria do Trigo de São Paulo (Sindustrigo) estima que os produtores paulistas têm condições de dobrar a área plantada de trigo, atualmente na casa dos 74,2 mil hectares. Com isso, até 2019, mais de 150 mil hectares seriam destinados ao cultivo do cereal, o que significaria alcançar uma produção total de 516 mil toneladas, 256 mil toneladas a mais do que a anotada em 2015. Detalhe: o grão cultivado em São Paulo supre 30% da necessidade da indústria moageira local.

Angus em Dubai
A Associação Brasileira de Angus (ABA) promoveu um jantar de gala no mês passado, o Celebrating Gourmet Brazilian Beef , em Dubai, nos Emirados Árabes, onde foi servida carne certificada da raça. Conheça os planos da ABA para divulgar o produto:


José Roberto Pires Weber,Presidente da Associação Brasileira de Angus (ABA)

Porque a ABA escolheu Dubai?
A participação se deu dentro de um projeto da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) para divulgar a carne gourmet do País. Havia cerca de 100 empresários e chefs de cozinha, uma oportunidade que não podíamos perder.

Quais os ganhos dessa ação?
Estar em um evento como o de Dubai é muito diferente de ocasiões para difundir a carne commodity. A carne premium serve a uma culinária mais sofisticada e é nesse mercado que precisamos abrir espaço. 

Qual a atual exportação de carne certificada?
Em 2015, vendemos quatro mil toneladas aos europeus. Ainda é pouco e não negociamos com preços equivalentes aos de Argentina e Uruguai, que ganham mais pelo produto vendido lá fora.

Qual o impacto da adesão do frigorífico Minerva ao programa da ABA?
A parceria foi fechada no mês passado. O Minerva é o segundo maior exportador de carne bovina do País. Com ele, esperamos aumentar os abates certificados em 10%. Em 2015 foram 400 mil animais, mas a meta é um milhão por ano, até 2020.