Porteira Aberta

O desafio da sustentabilidade

O desafio da sustentabilidade

Infográfico: Ricardo Alonso

Informação
Biblioteca do café

O Sistema Brasileiro de Informação do Café (SBICafé), desenvolvido pela Universidade Federal de Viçosa, de Minas Gerais,  e coordenado pela Embrapa Café, está completando 15 anos. Criada em 2000 e conhecido como Biblioteca Digital do Café, a ferramenta reúne trabalhos científicos, como teses e dissertações de mestrado e doutorado, palestras, artigos e informações de toda a cadeia produtiva do grão.

Indústria
Colheita Dolce Gusto

Em busca de um café de qualidade, a Nestlé lançou, no mês passado, o concurso Colheita Premiada, que vai distribuir aos 15 melhores produtores do grão R$ 450 mil em prêmios. O objetivo é ter frutos superiores para produzir as cápsulas utilizadas na linha de cafeteiras Dolce Gusto. O produto será processado na nova fábrica de cápsulas, que deve ser inaugurada em Montes Claros (MG), até o final do ano. O café será vendido no mercado interno e também exportado.

Ovinos
Abate legal

O município de Aliança do Tocantins, no sul do Estado do Tocantins, vai ganhar um frigorífico para o abate de pequenos animais. O projeto, anunciado no início de agosto, faz parte do Complexo Agroindustrial de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável da Cadeia Produtiva de Ovinocultura do Matopiba, região formada por partes dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e da Bahia.

Regularização ambienta
Um portal para o CAR

Durante o 14º Congresso Brasileiro do Agronegócio, realizado em São Paulo, no início de agosto, a Abag, promotora do evento, lançou um portal on line em parceria com a Bolsa de Valores Ambientais (BVRio). A ferramenta serve para facilitar a vida dos produtores rurais empenhados na regularização ambiental de suas propriedades. Ela servirá de apoio para o registro no Cadastro Ambiental Rural (CAR) e para a negociação de Cotas de Reserva Ambiental (CRAs) nas compensações de reserva legal. Informações http://abag.bvtrade.org

Frísia
Conforto para os leitões

Após investimentos de R$ 40 milhões, no mês passado, Renato Greidanus, presidente da Frísia, antiga cooperativa Batavo, de Carambeí (PR), inaugurou uma nova  unidade produtora de leitões. A capacidade de alojamento é de cinco mil fêmeas, com previsão de 2,9 mil nascimentos por semana. A granja é a primeira do País para gestação coletiva, na qual as porcas não ficam confinadas em gaiolas.

Citricultura
Paulada no greening

A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Citricultura, vinculada ao ministério da Agricultura, reivindica, urgentemente, uma nova legislação sanitária para que os produtores de laranja tenham mais tranquilidade ao lidar com o greening, uma doença que devasta os pomares e que tem tirado o sono de muitos citricultores do Estado de São Paulo e da região do Triangulo Mineiro. Somente em pomares paulistas, estima-se que desde 2004 já foram eliminadas 34 milhões de plantas por causa da doença.

Cadeia leiteira
Corrida olímpica

A Embrapa Pecuária Sudeste, de São Carlos (SP), e a americana Dow AgroSciences, empresa da área de herbicidas para pastagens, realizaram juntamente com a Federação da Agricultura, Pecuária e Pesca do Estado do Rio de Janeiro, um dia de campo no município de Conceição do Macabu, no Norte fluminense. O objetivo foi mostrar aos produtores tecnologias para melhorar a produção. O evento, que aconteceu em quatro de agosto, foi o primeiro realizado pelo projeto Leite Sustentável, que tem entre seus objetivos qualificar os produtores para fornecer leite para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Biodiversidade
Patrimônio preservado

Celulose
Apetite da Fibria

A Fibria, uma das maiores produtoras mundiais de celulose de eucalipto, está terminando a contratação dos pacotes de serviços e equipamentos para a ampliação da produção, em sua unidade de Três Lagoas, município do Mato Grosso do Sul. Aprovado em maio, o Projeto Horizonte 2, será concluído em 2017, após investimentos de R$ 7,7 bilhões.

Genética – seca
ABS apresenta seu time

No mês passado, a ABS Pecplan, de Uberaba (MG), subsidiária da American Breeders Services, apresentou o seu catálogo europeu de raças de corte 2016.  Dos 89 touros com sêmen disponível, de 15 diferentes raças, 30 são novos na bateria.  A maior parte, cerca de 60% da oferta, é de animais da raça angus.

Hidrovias
De volta à navegação

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou no mês passado que a hidrovia Tietê-Paraná vai receber investimentos de R$ 1 bilhão para recompor minimamente o seu leito navegável. Desde o ano passado, a hidrovia, que tem  2,4 mil quilômetros  de extensão, já causou prejuízos de R$ 685 milhões. Cerca de oito milhões de toneladas passaram a ser transportados por caminhões para o porto de Santos, onerando os custos do setor produtivo.

Estados Unidos
Microsoft no campo

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), em parceria com a Microsoft, lançou um concurso batizado de Innovation Challenge (Desafio da Inovação, em português), para escolher desenvolvedores de software que criem aplicativos destinados a explorar o seu banco de dados. Há mais de um século, o Usda recolhe informações sobre a saúde das culturas e animais em todo o país. A ideia é de que o aplicativo leve informação aos produtores e consumidores.  As inscrições terminam em novembro e o prêmio é de US$ 60 mil.

China
Negócio para a DuPont

A americana DuPont fechou um acordo com a refinaria  Jilin para produzir etanol celulósico na China. O biocombustível de segunda geração será à base de celulose e de partes não comestíveis de vegetais, como o milho. A Jilin usará as enzimas fornecidas pela DuPont para produzir esse tipo de etanol. De acordo com as duas empresas, até o final da década o mercado de etanol celulósico deve ultrapassar 1,7 bilhão de barris por ano.

Nova fronteira tecnológica

O presidente da Suzano Papel e Celulose, Walter Schalka, fez dois anúncios no mês passado.  O primeiro, sobre a receita de R$ 997 milhões, no primeiro semestre do ano, que mostra uma recuperação das vendas da empresa, na comparação com 2014. O segundo anúncio foi sobre a produção comercial de lignina, subproduto da madeira que representa mais uma fronteira tecnológica para o País.


Walter Schalka,presidente da Suzano Papel e Celulose
 

O que é o projeto de produção de lignina?
A Suzano vai investir R$ 70 milhões, com a expectativa de colocar em funcionamento a primeira unidade piloto de produção de lignina, até o primeiro semestre de 2018. A lignina é um produto de valor agregado que pode substituir derivados de petróleo em vários segmentos, como na construção civil e na indústria moveleira.

Qual vai ser a produção?
A unidade piloto poderá produzir 20 mil toneladas anuais, masa empresa tem potencial para 185 mil.

Por que investir nessa tecnologia?
Hoje, a Suzano utiliza os subprodutos do eucalipto para produzir energia. Com a lignina, podemos ganhar três vezes mais, além de ser um processo sustentável, por sequestrar carbono.

Será possível participar do mercado de créditos de carbono?
Ainda não sabemos, porque essa tecnologia também é nova, no mundo. Há poucos projetos de produção de lignina a partir de resíduos de madeira. O projeto da Suzano, por exemplo, é o primeiro da América do Sul.