Hippus

Puro-Sangue & Cia

 

DOIS SÉCULOS DE SELEÇÃO

É neste mês de outubro que o Brasil conhecerá quais são os melhores exemplares do ano na raça manga-larga. A disputa acontecerá no Clube Hípico de Santo Amaro, na capital paulista, entre os dias 11 e 19. O evento comemora os 200 anos do início da formação da raça no País. Um telão de 24 metros quadrados dará ao público uma visão detalhada dos julgamentos. Palms via wireless transmitirão em tempo real a classificação anotada em súmulas eletrônicas. Tudo para marcar uma nova era no julgamento da raça.

Turfe na parada

Mesmo sem conseguir uma classificação, o tordilho brasileiro Happy Boy fez história. Ele se tornou o primeiro animal de criação nacional a disputar uma raia na Turquia, em prova de 2 mil metros (G2) no hipódromo de Veifendi, em Istambul.

Na ocasião foram distribuídos mais de US$ 1 milhão em prêmios.

Quarto de Milha em destaque

Mercado aquecido propicia bons negócios

 

 

Vaivém – O reprodutor importado Peeko Del Cielo, garanhão registro de mérito na associação americana de cavalos de rédeas, custou R$ 169,2 mil para Flávio Castilho Mlard. Ele lidera um condomínio que utilizará o cavalo em linhagens nacionais.

Bons lances – O Haras Sacramento e convidados, em leilão realizado no início de setembro, levantaram a quantia de R$ 2,1 milhões, 34% a mais que em 2007. O destaque foi a égua Dark Moon Cat, que saiu por R$ 112,8 mil.

 

Bolsa de US$ 250.000,00

Após 17 anos de jejum, uma parceria entre o Jockey Club de São Paulo (JCSP) e a Associação Latino- Americana de Jockeys Clubs sacramentou a realização do GP Latino- americano, em 14 de março de 2009. O valor estimado para a bolsa será de US$ 250 mil. “É a maior dotação de nossa história”, disse Marcio Toledo, presidente do JCSP.

CÂ N T E R

 

Presidente da Associação Latino- Americana de Jockeys Clubs, Bruno Quintana, fala das expectativas do Grande Prêmio que acontecerá em março do ano que vem

Qual a importância desse evento?

É uma carreira tradicional, em que cada país recebe o evento uma vez a cada 15 anos.

O Brasil será uma boa sede para esta carreira?

Com certeza. O Jockey de São Paulo tem feito um grande trabalho e está empenhado numa bolsa atraente e tem ótima infraestrutura para os visitantes

E os animais, serão de bom nível?

O turfe sul-americano produz 14% de todo o sangue mundial. Vamos mostrar ao mundo a qualidade de nossos cavalos, com uma bolsa disputadíssima.

 

DISCO FINAL

A Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos de Hipismo (ABCCH) realizou sua mostra entre os dias 9 e 14 de setembro. O evento aconteceu no Clube Hípico de Santo Amaro, na capital paulista. O melhor garanhão do ano, segundo os juízes, é Dom Enrico, um animal de propriedade da empresária Anna Maria Capella Mantegazza, dona do laboratório Mantecorp.