Hippus

Puro-sangue

“MC” MANFREDI

O banqueiro Maurício Manfredi, titular do Banco Prosper, tem se empenhado para trazer novos investidores para o mercado de cavalos. Presidente da Confederação Brasileira de Hipismo e criador da raça Brasileiro de Hipismo, ele quer angariar parceiros para o setor. Para dar exemplo, ele mesmo tem patrocinado eventos e feito investimentos. Exemplo é o cavalo Phillip Domar, de sua propriedade, avaliado em mais de US$ 1 milhão.

CÂNTER

Luiz Roberto Giugni é presidente da Federação Paulista de Hipismo e comanda seis mil cavaleiros. Para ele, o mercado está aquecido e bom para negócios.

Há espaço para que raças no hipismo brasileiro?

Hoje existe uma preferência pelo brasileiro de hipismo. Mas animais de outras raças, como árabe, lusitano e puro-sangue inglês, têm mercado.

Você representa 6 mil federados. Eles estão comprando?

Sim. É um mercado muito rotativo. Há sempre pessoas novas entrando ou melhorando suas performances e precisam mudar de cavalos, que são revendidos mais tarde.

O mercado está em crescimento ou estagnou?

Estamos em franco crescimento. A equitação fundamental, porta de entrada para o esporte, possui quase três mil alunos, ou seja, praticamente 50% de nosso total. Isso mostra que é um mercado crescente e há espaço para investidores.

Mais “milhões”

Araça quarto-de-milha continua cravando excelentes médias em seus leilões. Durante a 28ª edição do torneio Potro do Futuro, três leilões totalizaram R$ 2,179 milhões. Destaque para a Fazenda Caruana e Companhia, que apurou receita de R$ 1.202.400. Desse total, R$ 1,1 milhão foi obtido com a venda de 44 animais, fazendo a média de R$ 25.336,36, além da comercialização de 20 coberturas por R$ 87,6 mil. O lote mais valorizado ficou com a alazã, da linhagem fechada em corrida, Debarcadere BR.

Festa árabe

Ribeirão Preto será sede do maior evento da raça puro-sangue árabe do Hemisfério Sul, entre os dias 14 e 18 de novembro. A mostra contará com cerca de 800 inscrições e reuniu 500 criadores do Brasil, Estados Unidos, Uruguai, Argentina, Chile e Inglaterra. A mostra é considerada por especialistas como a grande vitrine da raça, no continente.

DISCO FINAL

Turfistas de várias regiões do País esperam, ansiosos, o Derby de São Paulo, que será realizado em 17 de novembro no hipódromo Cidade Jardim, na capital paulista. A competição, uma das mais tradicionais do Brasil, poderá consagrar o potro “Meu Rei”, do Stud Birigui, que corre para ser o tríplice coroado.

Livro de arte à vista

Uma parceria entre a associação dos criadores de cavalos lusitano e brasileiro de hipismo culminou na confecção de um livro com 120 páginas com os 55 garanhões mais importantes do esporte eqüestre nacional. A publicação será uma espécie de guia, virá acompanhada de um DVD e custará R$ 80. O lançamento, sem data marcada, está previsto para o fim de novembro.