Hippus

Puro-sangue

A RAÇA DE R$ 100 MILHÕES Após consolidar os dados referentes a 2007, a Associação Brasileira dos Criadores de Quarto-de- Milha, apurou R$ 28,3 milhões distribuídos em competições por todo o território brasileiro. O número, somado aos R$ 65 milhões movimentados nos leilões no mesmo período, mostra um volume financeiro de mais de R$ 100 milhões no ano passado. A entidade acredita que haverá um crescimento de até 10% sobre os números do último ano. Com a economia aquecida, novos recordes devem ser observados nos próximos meses.

Gringos que se cuidem

A égua Nikita Vista venceu uma das etapas do GP Bank of America Racing Challenge, realizado em Cidade Jardim, na capital paulista. Como prêmio, a campeã, de propriedade de Célio Roberto Silva Jr., disputará a final nos EUA com dotação de US$ 350 mil.

Franquia a cavalo

O empresário Aluísio Marins, dono da Universidade do Cavalo, em Sorocaba (SP) tem uma nova aposta. Ele abriu um sistema de franquias de sua “escola eqüestre”, que já está Fortaleza (CE), Belo Horizonte, Rio de Janeiro (RJ), Londrina (PR) e Gravatá (BA). O empresário não fala em valores, porém, revela que seus cursos preparam, anualmente, mais de 1.500 alunos distribuídos por todo Brasil.

DISCO FINAL

Está pautada para março a eleição que definirá a nova diretoria do Jockey Club de São Paulo e a vitória de Marcio Toledo é dada como certa. Isso devido aos resultados da entidade, que saiu do vermelho e tem um saldo de mais de R$ 100 mil.

Festa paulista

Na sexta-feira 25 de janeiro, o jóquei Vagner Leal, montando a égua Selecta, venceu uma das mais importantes carreiras do primeiro semestre, o GP Aniversário de São Paulo, com dotação de R$ 20 mil. Selecta é de criação e propriedade do Stud Maestro, dos empresários Juan e Marcel Figer, uma das coudelarias que mais investem no turfe brasileiro atualmente.

CÂNTER

O dono da MBA Leilões, que realiza grandes leilões de cavalos, acredita que o setor pode crescer até 20% em 2008. Segundo ele, existe uma grande oferta de qualidade.

Você está otimista para 2008?

Sem dúvida. Acredito que o criador que seguir oferecendo animais de qualidade continuará colhendo bons resultados, assim como aconteceu ano passado.

Existe uma receita para as vendas?

O que existe é um trabalho básico que deve ser observado. Os animais devem estar muito bem tratados e preparados, e o criador, realizar relacionamento social e marketing constante do seu criatório.

Os preços continuarão em alta?

Essa é a expectativa. No ano passado conseguimos uma expansão de 30%. Como o mercado está “embalado”, é possível projetar algo em torno de 20%.