Hippus

Puro-sangue & Cia

 

Quero Beijinho

A égua Quero Beijinho venceu o quarto páreo do Dia da Imprensa, realizado no Jockey Club de São Paulo, em 20 de julho. Foi a décima vitória de sua carreira e a primeira no hipódromo paulista. O quarto páreo levou o nome Revista Dinheiro Rural. Montada pelo jóquei Michel Platini, Quero Beijinho, um purosangue inglês que pertence ao haras Bravo Lima, de Beatriz e Paulo de Moraes Leme, em Arandu (SP), liderou a prova de 1,3 mil metros em 1,15 minuto. O animal fez o percurso com folga de até três corpos de diferença em relação ao segundo colocado em todo o percurso. 

Potro do futuro

O quarto de milha Snippy Some Body, filho de Some Body Smart e Snippy Doc Doc, conquistou o título de Potro do Futuro, pela Aberta da Associação Nacional do Cavalo de Apartação (Anca). As provas aconteceram de 2 a 7 de julho, na Fazenda Barrinha, em Espírito Santo do Pinhal (SP). Snippy, que pertence ao Rancho Coyote, de Antônio Carbonari Netto, em Itatiba (SP), obteve a nota máxima de 76 pontos na categoria. 

Vaquejada à baiana

Marcada para o período de 4 a 7 de setembro, a Vaquejada de Serrinha, uma das principais provas do calendário baiano, vai distribuir R$ 350 mil em prêmios. O primeiro lugar na categoria profissional, na prova realizada no parque Maria do Carmo, leva para casa R$ 50 mil e o segundo colocado fica com R$ 13 mil. As demais premiações serão de R$ 6 mil. 

O garanhão Whiz N Tag Chex, quarto de milha do criador André Tripoloni, de Maringá (PR), foi notícia em revistas americanas especializadas. Um de seus filhos, Blue Collor Tag, é reconhecido entre os melhores da raça, pelo desempenho em pista. Em julho, ele venceu o National Reining Breeders Classic. 

Diante da vitória de Blue, o passe do pai se valorizou?
Whiz N Tag Chex já era bem valorizado. Mas, com certeza, o mais recente prêmio ajudou. Já fomos contatados por pessoas interessadas em seu sêmen, de países da Europa, como a Alemanha, até aos Estados Unidos. 

Whiz é pai de animais que já receberam um total de US$ 1,5 milhão em prêmios. Como foi chegar até esse patamar? 
Comprei esse animal há quase um ano. Na época, a sua produção estava avaliada em cerca de US$ 1,1 milhão. Foram as provas de rédeas que fizeram crescer ainda mais o valor dos prêmios obtidos.

O que o levou à compra desse garanhão? 
Ele é um super-reprodutor e possui linhagens muito importantes para nós, quartistas brasileiros. Além disso, queria um animal de grande porte e bonito, e um vencedor de premiações em pista. Ele está mostrando que transmitiu essa mesma genética.