• IstoÉ
  • IstoÉ Dinheiro
  • Dinheiro Rural
  • Menu
  • Motorshow
  • Planeta
  • Select
  • Gente
  • GoOutside
  • Hardcore
Assine
Anuncie
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
Istoé Dinheiro Rural
MenuMenu
FECHAR
Capa da edição atual da revista
Edição da SemanaNº 183 30.11Leia mais
  • Home
  • Últimas notícias
  • Economia
  • Negócios
  • Carreira
  • Estilo no campo
  • Tecnologia
  • As melhores da Dinheiro Rural
  • Siga-nos:Facebook
Notícias16/09/2021

Secretário do Ministério da Economia reclama das revisões do mercado sobre PIB

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo16/09/21 - 12h40min

O secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, reclamou nesta quinta-feira das revisões do mercado para um crescimento menor da economia neste e no próximo ano e fez um apelo para que os analistas analisem os dados de forma concreta. "Vou começar com uma frase (de Edward Deming): Em Deus nós confiamos, todos os outros devem trazer dados. Isso é um pedido que faço a todos que estão analisando a situação atual da economia brasileira. Vamos olhar o que os dados dizem. Vamos separar o que é ruído do que é sinal real da economia, vamos separar o que é ruído do que é um sinal concreto", afirmou.

Apesar de o mercado vir reduzindo suas projeções para a evolução da atividade neste e no próximo ano, o Ministério da Economia manteve sua estimativa para a recuperação da economia em 2021, e segue esperando uma alta de 5,30% no Produto Interno Bruto (PIB) neste ano. A previsão consta na grade de parâmetros da Secretaria de Política Econômica (SPE), divulgada nesta quinta.

Para 2022, a estimativa de alta no PIB passou de 2,51% para 2,50% - enquanto parte do mercado já aposta em um crescimento inferior a 1,00% no próximo ano.

Segundo Sachsida o carregamento estatístico para o PIB de 2022 calculado pela SPE é de 1,2%. "Vamos entrar em 2022 com crescimento expressivo de PIB. Já com a estimativa da Focus, o carregamento estatístico para o PIB de 2022 é de 0,7%", completou.

Sachsida alegou ainda que, com um PIB de 5,3% em 2021, bastaria um crescimento trimestral médio de 0,4% em 2022 para chegar a uma alta de 2,3% do PIB em 2022. "Para chegarmos a 2,5%, basta um crescimento médio trimestral entre 0,4% e 0,5%, dado o carregamento estatístico desse ano", detalhou.

Ele alegou ainda para se chegar a um crescimento de apenas 0,5% em 2022 - previsto por alguns economistas - será preciso um crescimento médio trimestral negativo em 2022. "Me parece que a estimativa da SPE de alta de 2,5% em 2022 está solidamente embasada em dados", completou.

Saiba mais
+ Modelo brasileiro se casa com nove mulheres e vira notícia internacional
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Receita simples e rápida de asinhas de frango com molho picante
+ Conheça o suco que aumenta a longevidade e reduz o colesterol
+ CNH: veja o que você precisa saber para a solicitação e renovação
+ Vídeo de jacaré surfando em Floripa viraliza na internet
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais