O Campo em números

Sede de negócios

A companhia australiana Nufarm concluiu a aquisição de parte significativa do portfólio europeu de agroquímicos das empresas Adama e Syngenta, controladas pela chinesa ChemChina. O negócio, de US$ 490 milhões, abrangeu mais de 50 formulações, que representam em torno de 260 registros de produtos para proteção de cultivos, como herbicidas, fungicidas, inseticidas, tratamentos de sementes e reguladores de crescimento de plantas, vendidos em 29 países europeus. A expectativa é que esses produtos gerem um faturamento anual adicional de quase US$ 200 milhões para a Nufarm.

BIOELETRICIDADE
Valores de referência

Uma boa notícia para a geração de energia de biomassa de cana-de-açúcar. O Ministério de Minas e Energia fixou o valor anual de referência para a biomassa residual da cana, na chamada pública de geração distribuída. São R$ 349 por megawatt-hora e, para o biogás, em R$ 390 por megawatt-hora. Em 2016, se as distribuidoras com usinas sucroenergéticas tivessem comprado 10% de sua demanda por esse sistema, esse volume seria equivalente a 40% da bioeletricidade ofertada para
a rede, no ano passado, ou a 14% da produção de energia em São Paulo.

INVESTIMENTO
Vale Fertilizantes passa para as mãos da Yara

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a compra da brasileira Vale Cubatão Fertilizantes pela norueguesa Yara International. O valor do negócio foi de US$ 255 milhões. O complexo tem capacidade de produção anual de 200 mil toneladas de amônia, 600 mil toneladas de nitratos e 980 mil toneladas de fertilizantes fosfatados.

SEMENTES
Negócio entre alemães

Divulgação

A multinacional alemã Bayer segue com sua estratégia de negociar seus ativos para poder concretizar a compra da americana Monsanto. Diante disso, está negociando com a também alemã Basf a venda de todo o seu portfólio de sementes de hortaliças, que opera com a marca global Nunhems. O valor da transação é estimado em € 5,9 bilhões. Para a Basf, a compra serve para expandir a oferta de produtos para a proteção de cultivos, além de marcar sua entrada no negócio de sementes com ativos próprios. No ano passado, a receita da divisão de proteção de cultivos da empresa foi de € 5,7 bilhões. Já a receita global chegou aos € 64,5 bilhões.

FRIGORÍFICO
A receita do Minerva

Divulgação

A receita do frigorífico Minerva Foods, um dos líderes na produção de carne in natura, gado vivo e alimentos industrializados do Brasil, da família Vilela de Queiroz, foi de R$ 12,1 bilhões no ano passado, 26,5% acima de 2016. Ela sobe para R$ 14 bilhões, se for considerado o faturamento das nove fábricas adquiridas, em agosto de 2017. Foram cinco na Argentina, três no Paraguai e uma no Uruguai. Hoje são 26 frigoríficos na América do Sul com capacidade diária de abate de 26,4 mil bovinos e desossa de 28 mil cabeças.

Commodities

“Em todo o setor, as margens estão sob pressão por causa da grande oferta, o que tem levado os preços aos níveis mais baixos da história” Johnny chi, CEO da COFCO International, no Fórum Global de Commodities, em Lausane, na Suíça (Crédito:Divulgação)

CAFÉ
Três Corações cresce dois dígitos

Divulgação

O grupo Três Corações, joint venture entre a brasileira São Miguel Holding e a israelense Strauss, cresceu no ano passado. A receita foi de R$ 3,7 bilhões, ante R$ 3,1 bilhões em 2016. O grupo atua nos setores de café, refresco em pó, achocolatados, temperos e derivados de milho. Parte do faturamento decorreu do comércio de 280 mil máquinas para cápsulas de café no período, sendo que a expectativa era de 200 mil máquinas. Não por acaso, este ano, a joint venture fará investimentos de R$ 20 milhões para duplicar a produção da fábrica em Montes Claros (MG), para 20 milhões de cápsulas de café por mês.

SEGURO RURAL
Dinheiro para o PSR

O Ministério da Agricultura (Mapa) colocará R$ 384 milhões à disposição do Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). Os recursos serão liberados até novembro deste ano. De acordo com o Mapa, o subsídio deve financiar 70 mil apólices para 50 culturas. Para as culturas de inverno serão destinados R$ 115 milhões. Para as de verão, R$ 175 milhões. Frutas receberão R$ 72 milhões e as demais culturas ficarão com R$ 21 milhões.

CONFINAMENTO
JBS sai do setor

A JBS, maior processadora de carnes do mundo, concluiu a venda de todas as operações de confinamento de gado da Five Rivers Cattle Feeding nos Estados Unidos, terminando o seu programa de desinvestimento. As afiliadas da americana Pinnacle Asset Management LP compraram os ativos por US$ 200 milhões. Além da Five Rivers, a JBS já vendeu a Vigor Alimentos e as operações de carne bovina na Argentina, Paraguai e Uruguai.

Análise do Mês
Para dar fôlego à indústria, Colômbia eleva mistura de etanol na gasolina

Guilherme Nastari, diretor da Datagro

O Ministério de Minas e Energia (Minminas) da Colômbia determinou a elevação na proporção do etanol na gasolina comercializada no país de 8% para 10%. Além dos objetivos ambientais de redução de emissão de gases estufa, a resolução do Minminas também atendeu a expectativa dos produtores de cana-de-açúcar.

O marco normativo que respalda a produção de biocombustíveis na Colômbia está expresso pela Lei 693, de 2001, que estabeleceu normas para o uso do álcool carburante e criou estímulos para a sua produção, comercialização e consumo. O debate legislativo atendeu, à época, aos objetivos de promoção da sustentabilidade ambiental, qualidade dos combustíveis, desenvolvimento agroindustrial e diversificação da cesta energética nacional. E a Lei 939, de 2004, veio ampliar o alcance da política para o biodiesel.

A elevação da mistura de etanol na gasolina também surge como resposta à crise enfrentada pelo setor, em razão da paralisação das destilarias Incauca S.A. e Riopaila-Castilla, ambas localizadas em Cali, que haviam superado sua capacidade instalada de armazenamento devido à baixa demanda.